Suspeita sobre pedofilia começou no início do casamento, diz Bianca Toledo

A primeira pessoa a desconfiar do padastro foi a babá da criança

 

 

felipe-heiderich-e-bianca-toledo Suspeita começou no início do casamento, diz Bianca Toledo
 Uma babá do filho de Bianca Toledo foi a primeira pessoa a desconfiar de Felipe Heiderich, isso seis meses depois do casamento.

A cantora evangélica afirmou ao jornal Extra que a funcionária da casa sempre encontrava a criança sem fraldas no berço e que Felipe entrava no quarto durante a madrugada.

Apesar da denúncia, Bianca seguiu com o casamento acreditando na inocência de seu esposo. “Nós nos amávamos muito e quando a babá me contou essas coisas, começou a me alertar, ele passou a odiá-la e dizer que as histórias eram inventadas. Um ano depois, ela parou de cuidar do meu filho”, disse ela ao jornal Extra.

O casal ficou dois anos e meio casado, união que terminou com a constatação do abuso sexual e com a suposta confissão da homossexualidade de Felipe.

Bianca afirmou que nunca desconfiou da opção sexual de seu esposo, mas que na mesma época da denúncia da babá, Felipe passou a recusar manter relações sexuais com ela.

“Ele sempre dava desculpas de que estava com algum tipo de doença e, no mês passado, ele passou a dizer que estava com uma suspeita de tumor na hipófise”, disse a cantora.

Desconfiada, Bianca marcou um médico e ele não deixou que ela fosse com ele, dizendo depois que a doença foi confirmada. Por não mostrar nenhum resultado de exame, ela procurou a médica dele.

“Foi aí que passei a desconfiar dele. Liguei para a médica, que me disse que ele tinha mentido. Contou também que meu marido tinha dupla personalidade e é homossexual”, relatou.

Descoberta do abuso sexual

Bianca relatou que começou a tratar do tema com seu filho de uma forma lúdica e assim conseguiu comprovar que os abusos realmente aconteciam.

“Perguntei onde ele dormia quando a mamãe viajava. E ele disse que era na cama junto com o papai. Perguntei também se alguma vez o papai tinha dado banho nele. E o relato foi horrível”, contou.

Ela então contratou um terapeuta para o filho, ao mesmo tempo que fingia acreditar que Felipe realmente estava com uma doença.

“Na primeira consulta, ele disse que tinha muitos segredos a contar. Mas somente na segunda consulta entrou nos detalhes. Eu gravei tudo”, afirmou ela sobre o filho.

Foi no dia 13 de junho que ela resolveu confrontar o marido e dizer que já sabia de tudo. “Ele num primeiro momento disse que não havia ‘curado’ a sua homossexualidade. Argumentei que já sabia que ele estava abusando do meu filho e que em cinco dias tomaria as providências necessárias”.

Nesse mesmo dia, Bianca saiu de casa e foi com o filho para um hotel. Foi então que Felipe tentou se matar.

“Ele mandou uma mensagem para um amigo dizendo que tinha desistido da vida e que iria se matar. Ao chegarem ao apartamento, encontraram fotos minhas e do meu filho espalhadas pelo chão e uma carta em que ele dizia que tinha tomado duas caixa de tranquilizante”, relembrou a cantora.

Felipe foi socorrido e encaminhado para uma clínica psiquiátrica. “Lá ele foi diagnosticado com dupla personalidade e transtornos de personalidade. Eu queria que ele ficasse internado, mas meu advogado me disse que, se eu não denunciasse o caso à polícia, eu seria cúmplice. No mesmo dia fui à delegacia”.

A justiça emitiu o pedido de prisão temporária e o no dia 5 de julho Felipe se entregou à polícia e está preso em Bangu 10. O advogado de Felipe nega todas as acusações.

06-06-16 013

Rev. Ângelo Medrado, Bacharel em Teologia, Doutor em Novo Testamento, referendado pela International Ministry Of Restoration-USA e Multiuniversidade Cristocêntrica é presidente do site Primeira Igreja Virtual do Brasil e da Igreja Batista da Restauração de Vidas em Brasília DF., ex-maçon, autor de diversos livros entre eles: Maçonaria e Cristianismo, O cristão e a Maçonaria, A Religião do antiCristo, Vendas alto nível, com análise transacional e Comportamento Gerencial.