Categorias
Cultos

Vida Eterna em Jesus

ora

Vida Eterna em Jesus:

Quando João,  escreveu o seu livro,  uma heresia começava a existir entre os cristãos. Era o Gnosticismo, ensino que desvirtuava a verdade central do evangelho – a doutrina referente à pessoa de Cristo.

O evangelho de João  reafirmou  as verdades de Cristo

a Sua divindade,

– a Sua verdadeira humanidade,

– a Sua vida perfeita,

– o Seu sacrifício expiatório,

– a Sua ressurreição,

– e a Sua promessa de voltar ao mundo.

Tudo isto foi feito a fim de que tivéssemos base para ter esperança

O apóstolo menciona a palavra vida 43 vezes, em diversas formas tais como:  “a vida estava nele“, Cristo; “vim para que tenham vida“; “eu sou o pão da vida”; “não quereis vir a mim para terdes vida”

O  livro de João afirma  que Cristo veio para dar vida ao homem. Ele veio dar vida não apenas no sentido de livrar da perdição, mas também no sentido específico da palavra: Dar vida a quem estava condenado a perdê-la.

Por que esta ênfase do apóstolo ao ensino de que Cristo veio para dar vida? E que Ele é a nossa esperança de vida? Porque pelo pecado o homem perdeu o direito á vida. Pois “o salário do pecado é a morte.” Romanos 6:23.

Ao criar o homem foi o propósito de Deus dar-lhe vida imortal. o mas o Senhor não dotou o homem com imortalidade logo ao criá-lo.

Adão e Eva, deveriam ser primeiro provados. Eles eram livres e deveriam demonstrar se seriam obedientes ou não, aos princípios divinos.

O ponto da prova é mencionado em Gênesis 2:15-17: “E tomou o Senhor Deus o homem, e o pôs no jardim do Éden para o lavrar e o guardar. E ordenou o Senhor Deus ao homem, dizendo: De toda a árvore do jardim comerás livremente; mas da árvore da ciência do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comerdes, certamente morrerás.”

O fruto da árvore da ciência do bem e do mal  não produzia mal algum, de si mesmo. O que produzia o mal era a desobediência a Deus.

Nossos primeiros pais falharam na prova. Desobedeceram a Deus. Depois de pecarem Deus não lhes permitiu comer da árvore da vida. Essa árvore tinha a virtude de perpetuar a vida.

Transmitindo a seus descendentes a natureza pecaminosa, nossos primeiros pais nos deixaram também a sentença de morte. A Palavra de Deus diz: Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram.” Romanos 5:12

Como pecadores não temos esperança de vida além dos setenta ou poucos anos mais que aqui vivemos. Davi assim escreveu: “Porque o homem, são seus dias como a erva; como a flor do campo, assim floresce, pois, passando por ela o vento logo se vai, e o seu lugar não conhece mais.” Salmo 103: 15 e 16.

Foi para restituir a vida ao homem, o direito de viver para sempre, que Cristo veio ao mundo. “O ladrão vem somente para roubar, matar e destruir; eu porém, vim para que tenham vida e a tenham em abundância.” João 10:10.

E ainda: Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém dele comer, viverá eternamente.” João 6.51

O apóstolo Paulo fala da graça “manifestada agora pelo aparecimento de nosso Salvador Jesus Cristo o qual não só destruiu a morte, como trouxe à luz a vida e a imortalidade mediante o evangelho.” II Timóteo 1.10

É aceitando o Evangelho- arrependendo-nos, confessando e abandonando o pecado, entregando a vida ao salvador, obedecendo À Sua palavra, que nos ligamos ao Doador da vida e temos a promessa da imortalidade.

Na volta de Cristo à esta terra é que será conferida a imortalidade aos que pela graça de Deus se tornarem dignos dela. O Salvador voltará com poder e glória, para buscar o Seu povo. E se eu for, e vos preparar lugar, voltarei e vos recebereis para mim mesmo, para que onde eu estou estejais vós também.” João 14:3

Quando Jesus aparecer nas nuvens dos céus, Ele fará ressurgir os mortos que dormiram no Senhor. Aqui nesta terra, mesmo os que recebem a Cristo no coração continuam sujeitos à morte. Mas esta morte não será eterna. Ela é um estado transitório. “Quem crê em mim” disse Jesus, ainda que morra viverá.” João 11:25

Ele dará vida imortal a todos os remidos, aos que provaram a morte e foram ressuscitados, e aos que estiverem vivos naquele dia.

Descendo ao nível do homem e dando a Sua vida em expiação pelas transgressões do homem, Cristo proveu cura para a doença que traz a morte eterna, a doença do pecado.

Cristo salva do pecado e dá-nos vida, vida imortal.

“Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está no Seu Filho. Aquele que tem o Filho tem a vida, aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida.” I João 5:11-12

Jesus Cristo na última ceia fez dela uma aliança de essas promessas irão acontecer e que por isso foi selada com seu sangue na cruz do calvário. Este é o momento para purificar-nos dos nossos pecados e reconciliarmo-nos com Deus portanto, faça agora uma reflexão e peça perdão ao Pai dos seus pecados e participe da santa ceia. Não deixe de participar.

27-5-16-a 006

 Rev. Ângelo Medrado, Bacharel em Teologia, Doutor em Novo Testamento, referendado pela International Ministry Of Restoration-USA e Multiuniversidade Cristocêntrica é presidente do site Primeira Igreja Virtual do Brasil e da Igreja Batista da Restauração de Vidas em Brasília DF., ex-maçon, autor de diversos livros entre eles: Maçonaria e Cristianismo, O cristão e a Maçonaria, A Religião do antiCristo, Vendas alto nível, com análise transacional e Comportamento Gerencial.

Categorias
Estudos

Batalha Espiritual

Batalha Espiritual

g

O termo “Batalha Espiritual”; virou “modismo”, muitos levantaram-se e muitos manuais foram escritos detalhando e ensinando estratégias.

Muitos fracassos aconteceram por não conhecerem o inimigo.

A Bíblia diz, que o diabo é extremamente sagaz e poderoso, ele pode fazer grandes coisas e conhece muito bem o ser humano.

Ele conhece estratégias de guerra e está preparado para os ataques e contra-ataque da igreja.

A Batalha Espiritual, acontece no mundo espiritual. É necessário que haja homens santos e cheios do Espírito Santo, preparados por Deus com dons (visão, revelação, profecia, etc.), através dos quais o Senhor Deus orientará o Seu exercito.

Embora andando na carne, não militamos segundo a carne.” 1Co 10.3), não é contra homens, sim, contra satanás “Pois nós não estamos lutando contra seres humanos, mas contra as forças espirituais do mal que vivem nas alturas, isto é, os governos, as autoridades e os poderes que dominam completamente este mundo de escuridão.” Ef 6.12; veja mais: Gn 3.15; 2Co 2.11; Tg 4.7.

Para essa luta a santidade é uma qualidade imprescindível.

O conselho de Paulo a Timóteo: “Este é o dever de que te encarrego, ó filho Timóteo, segundo as profecias de que antecipadamente foste objeto: combate, firmado nelas, o bom combate, mantendo fé e boa consciência, porquanto alguns, tendo rejeitado a boa consciência, vieram a naufragar na fé.” (1Tm 1.18,19).

A vigilância é imprescindível (“Sede vigilantes, permanecei firmes na fé, portai-vos varonilmente, fortalecei-vos”. 1Co 16.13). A oração é a arma, (“com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos”. Ef 6.18), se não houver oração, a derrota é certa.

Todos os que procuram se engajar nesta batalha espiritual devem estar firmes em Cristo (Fp 1.30), : “Por isso peguem agora a armadura que Deus lhes dá. Assim, quando chegar o dia de enfrentarem as forças do mal, vocês poderão resistir aos ataques do inimigo e, depois de lutarem até o fim, vocês continuarão firmes, sem recuar.” (Ef 6.13).

É necessário uma vida santificada. Os lutadores são protegidos pelo Senhor (“Porque eu, o SENHOR, teu Deus, te tomo pela tua mão direita e te digo: Não temas, que eu te ajudo.” Is 41.13; “Ó SENHOR, meu Deus e meu Salvador, tu me protegeste na batalha.” Sl 140.7).

Cristo te revestirá (“Mas o Senhor me assistiu e me revestiu de forças, para que, por meu intermédio, a pregação fosse plenamente cumprida, e todos os gentios a ouvissem; e fui libertado da boca do leão. O Senhor me livrará também de toda obra maligna e me levará salvo para o seu reino celestial. A ele, glória pelos séculos dos séculos. Amém!” 2Tm 4.17,18).

A vitória é nossa pelo Senhor Jesus Cfristo! (“Graças a Deus, que nos dá a vitória por intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo.” 1Co 15.57).

Se você for para a batalha, prepare-se pois cada batalha é diferente da outra e as extratégias são também diferentes. Não se apegue a manuais pré-elaborados mas firme-se na rocha que é Jesus Cristo.

Deus o abençoe neste dia.

27-5-16-a 006

 Rev. Ângelo Medrado, Bacharel em Teologia, Doutor em Novo Testamento, referendado pela International Ministry Of Restoration-USA e Multiuniversidade Cristocêntrica é presidente do site Primeira Igreja Virtual do Brasil e da Igreja Batista da Restauração de Vidas em Brasília DF., ex-maçon, autor de diversos livros entre eles: Maçonaria e Cristianismo, O cristão e a Maçonaria, A Religião do antiCristo, Vendas alto nível, com análise transacional e Comportamento Gerencial.

Categorias
Noticias

Lúcio da Seleção Brasileira fala das mensagens religiosas e da copa

PAPO DE ZAGUEIRO

Lúcio da Seleção Brasileira fala das mensagens religiosas e da copa

     Lúcio diz que, como líder da equipe de Dunga, seu papel é mais importante na concentração e nos treinamentos do que dentro de campo. Ele garante que vai conseguir uma forma de "mostrar sua fé" nos gramados, apesar da proibição da Fifa.
     Na copa da África do Sul, o brasiliense Lúcio, 31, será o primeiro zagueiro a disputar três Mundiais como titular da seleção brasileira. Mas, se era coadjuvante em 2002 e 2006, agora ostenta o título de capitão do Brasil e está perto de disputar a final da Copa dos Campeões.
     Na semana passada, sua equipe parou o Barcelona de Messi e pode até perder o jogo no Camp Nou, na quarta-feira, 28, para avançar à decisão do interclubes.
     Lúcio ainda é um dos principais nomes do movimento evangélico no futebol. Em entrevista à Folha de São Paulo, por telefone, de Milão, o zagueiro refutou qualquer insinuação de que a opção religiosa possa interferir no ambiente do time de Dunga. Ainda disse que ele e os outros jogadores da seleção vão conseguir uma forma de "mostrar a fé" nos gramados, apesar de a Fifa ter proibido camisetas com mensagens religiosas.
      A Inter, só com sul-americanos na defesa, parou o Messi no primeiro jogo das semifinais da Copa dos Campeões. Esse é o segredo para anular o argentino?
     Um dos principais fatores, que fala mais alto, é a marcação em conjunto. Na Inter, todo mundo ajudou, o time é compacto. Qualquer atacante encontra dificuldade.
      Você vai ser o primeiro zagueiro titular em três Copas seguidas. A que atribui essa longevidade?
     A primeira Copa foi a mais difícil. Era novo, não tinha tanta experiência de seleção e Europa. A segunda foi melhor, apesar de não ganharmos.
      Você acompanhou o Cafu como capitão em 2002 e 2006. Qual é seu estilo como capitão? É diferente do de Cafu ou se espelha no dele?
     O meu estilo é bem particular. Sou tranquilo, humilde, não me preocupo com o status de capitão. Meu papel é passar coisas boas para os outros jogadores no momento certo, dentro de campo, no dia a dia, nos treinos. Tenho que fazer todo mundo se sentir bem, quem joga ou está na reserva. Meu objetivo é manter todo mundo satisfeito, com o pensamento de que é possível ganhar títulos.
      Então o papel do capitão é mais importante fora de campo, na concentração?
     Eu acredito que sim. O mais importante é o trabalho na concentração, no dia a dia, nos treinamentos. Dentro de campo, você vai jogar como os outros. Você tem os mesmos deveres, precisa se empenhar e se dedicar. É claro que, às vezes, você precisa se impor, alertar os colegas. Mas o principal é o convívio no dia a dia.
      Que liberdade o Dunga lhe dá para cobrar os companheiros?
     Ele nunca comentou sobre isso, mas no dia a dia a liberdade que temos é total. Da mesma forma que posso tentar alertar alguém, passar uma informação, também dou toda a liberdade para ele fazer o mesmo comigo. O respeito tem de ser de ambas as partes. Nunca vou agredir ninguém.
      Quem serão os principais concorrentes do Brasil na Copa
     As seleções tradicionais, a Inglaterra, a Espanha. A Itália não está jogando bem, mas é a atual campeã. A Argentina não fez uma boa eliminatória, mas sempre é perigosa.
      O time está mais preparado agora do que em 2006?
     É difícil dizer isso agora. Mas é claro que mentalmente nossa equipe está tendo uma evolução muito grande. Todo mundo tem o pé no chão.
      O Dunga quer privacidade total na Copa. Você é a favor?
     A Copa do Mundo é uma competição muito curta. O que você puder fazer para se concentrar é preciso ser feito. Todo mundo vai estar desgastado, porque é final de temporada. É um preço que tem de pagar. Acho correto. É o sonho de todo mundo. Temos que fazer o melhor que pudermos.
      Você está de acordo que Weggis (a concentração da seleção antes da Copa de 2006) foi um erro?
     Poderia ter sido diferente. Não conseguimos fazer o melhor que poderia ser feito naquele momento. Os treinos pareciam mais um show, com a venda de ingressos. Isso tira o foco do objetivo de todo mundo. Não diria que foi um erro, mas que poderia ter sido bem melhor, isso sim.
      A Fifa proibiu camisetas com mensagens religiosas, como as que você tem o hábito de usar. Qual sua opinião sobre isso?
     Vou respeitar, até porque a Fifa é a instituição maior do futebol, que tem regras que precisam ser respeitadas. Mas, com certeza, a forma de agir dentro do campo não vai mudar. Vai ter um momento certo para a gente passar nossa mensagem religiosa.
      Acha que existe algum tipo de perseguição religiosa?
     Não sei, não tenho certeza absoluta. Talvez possa ser alguma disputa religiosa. Pode ser para prevenir alguma coisa. Mas isso não vai tirar nossa alegria de comemorar e agradecer a Deus da melhor forma possível. Com certeza vai ter outra forma de mostrar a nossa fé.
      Esse grupo da seleção tem muitos atletas religiosos. Vocês usam a religião de alguma forma no dia a dia do time?
     As conversas na concentração não são voltadas em tudo para a religião. A gente se entrosa bem. Dentro da seleção, o relacionamento é bom, independentemente de ser evangélico. Não existe separação do grupo por religião. Em 2006, pessoas levantaram isso, que o grupo estava rachado entre os evangélicos e os outros. Nunca existiu isso. Gente que não conhecia o grupo começou a falar coisas que não existiam. Só quando há oportunidade, como nos dias de folga, fazemos reuniões dos evangélicos.
      Quando parar de jogar, pensa em seguir no futebol ou fazer algum trabalho religioso?
     Agora não penso em nada disso. Ainda tenho alguns anos de futebol. Não tenho ideia nítida do futuro.
      Já se imaginou, como um zagueiro, sendo o melhor jogador de uma Copa do Mundo?
     É difícil. A gente comenta que goleiros, zagueiros são posições que levam desvantagem no geral. Se um zagueiro tira nove bolas e perde uma, seu time perde e você não é bom. Se o atacante erra nove bolas, mas acerta uma e faz um gol, vira o herói. Eu sonho ser o melhor de uma Copa, mas o meu principal objetivo é ajudar a seleção.
      O grupo está fechado ou tem lugar para alguém novo?
     Eu não tenho como responder a isso. Cabe ao treinador. Mas é claro que faltam poucos dias para a convocação (em 11 de maio). O Dunga já tem uma base, que está sendo mantida há um bom tempo. Mas é claro que pode haver surpresa.
      Já viu o Neymar jogar?
     Vi alguns jogos do Santos. É um jovem que está despontando muito bem, assim como a equipe do Santos. Mas, para mim, é difícil dizer alguma coisa sobre ele. É uma decisão do treinador. Existem jogadores que o Dunga já conhece, que ele precisa para uma função específica. Ele tem o motivo da escolha de cada jogador.

Fonte: Folha de SP