Categorias
Noticias

Jesus aparece a refugiados que cruzavam mar e acalma tempestade

refugiados

Refugiados sobreviveram à perigosa tempestade e se converteram

O testemunho de Erick Schenkel, diretor-executivo do Projeto Filme Jesus tem surpreendido muitas pessoas na Europa.

Ele conta que sua missão está trabalhando no discipulado de um grupo de refugiados que afirmam ter visto Jesus no mar Egeu.

Eles estavam em um barco como as dezenas que atravessam do norte da África para a Grécia todos os meses.

O vento forte e as ondas altas ameaçavam virar a embarcação cheia de imigrantes fugindo do Médio Oriente. Todos sabiam que muitos outros nas mesmas condições morreram na travessia.

Os refugiados estavam com medo e a beira do desespero. “Mas as pessoas do barco começaram a clamar a Deus em voz alta. De repente, uma “figura divina brilhante” apareceu a eles”, relata Schenkel. “O barco inteiro sabia que era Jesus”, insiste, acrescentando que eles o ouviram dar um comando e as águas se acalmaram imediatamente, salvando suas vidas.

“A partir desse ponto, o mar ficou calmo e tranquilo, e eles chegaram em segurança em terra”, ressalta Schenkel.

Semanas depois, os refugiados foram atendidos por cristãos que, ouvindo o relato, começaram a fazer grupos de discipulado e de estudo da Bíblia. O responsável pelas aulas é um ex-jihadista, que também teve uma forte experiência de conversão.

Para o líder do Projeto Filme Jesus, o relato surpreendente ecoa o episódio relato nos Evangelhos quando o Messias acalmou uma tempestade no Mar da Galileia (Mateus 4:37).

Embora não tenha dado mais detalhes sobre quem eram esses refugiados, insiste que havia um propósito pois todos que estavam ali queriam se tornar seguidores daquele que tem todo o poder. Com informações de Christian Post e Gospel Prime

06-06-16 013

Rev. Ângelo Medrado, Bacharel em Teologia, Doutor em Novo Testamento, referendado pela International Ministry Of Restoration-USA e Multiuniversidade Cristocêntrica é presidente do site Primeira Igreja Virtual do Brasil e da Igreja Batista da Restauração de Vidas em Brasília DF., ex-maçon, autor de diversos livros entre eles: Maçonaria e Cristianismo, O cristão e a Maçonaria,A Religião do antiCristo, Vendas alto nível, com análise transacional e Comportamento Gerencial.

“Milagre”: recém-nascida é curada de tumor no cérebro após família e amigos orarem a Deus

 Publicado por Tiago Chagas – gnoticias – em 30 de novembro de 2015

 

“Milagre”: recém-nascida é curada de tumor no cérebro após família e amigos orarem a Deus

Uma menina recém-nascida foi diagnosticada com suspeita de tumor no cérebro, e a família, cristã, resolveu apelar às orações a Deus para que ela fosse curada. E os médicos confirmaram o desaparecimento repentino dos indicadores que haviam levantado a suspeita.

A bebê, chamada de Paisley, foi levada aos médicos pelos pais depois que eles notaram uma inclinação no lado esquerdo de seu rosto. Para entender o que seria, foram ao Hospital Infantil de Cincinnati, em Ohio (EUA).

Lá, os médicos descobriram uma massa próxima à base do cérebro da pequena Paisley, e disseram aos pais que aquilo poderia ser um tumor. Diante desse diagnóstico inicial, os pais pediram orações aos amigos e familiares, para que ela fosse curada, enquanto os médicos preparavam o procedimento de biópsia.

No entanto, quando os médicos foram iniciar a microcirurgia para detectar se a massa era realmente um tumor maligno, não a encontraram no lugar.

“Assim que ele [o médico] entrou, se sentou e estava apenas balançando a cabeça”, disse a mãe de Paisley, Carissa Hatfield, comentando a atitude do médico ao revelar a boa notícia. “Ele disse: ‘Suas orações devem ter funcionado, porque quando eu fui fazer a biópsia não havia nada’”, contou a mãe, de acordo com informações do Christian Post.

Nas diversas entrevistas concedidas sobre o caso, os pais consideram que o desaparecimento da massa é o resultado de uma “intervenção divina”. E o hospital não possui nenhuma explicação diferente: “Os médicos que acompanhavam o caso da criança esperavam pelo pior, ou seja, um tumor maligno. Mas quando os cirurgiões chegaram ao local onde o tumor suspeito era visível na varredura, não encontraram nada. Eles não poderiam estar mais felizes para contar a boa notícia à família Hatfield”, informou o hospital, em um comunicado.

O pai da menina, Matt Hatfield, disse ser um “servo de Deus” e que sua filha foi alvo de uma “cura verdadeira”, um “milagre”.

Categorias
Ciência

Adolescente que teve morte cerebral declarada recobra consciência após receber oração

Publicado por Tiago Chagas – gnoticias.com.br – em 29 de maio de 2015 

Adolescente que teve morte cerebral declarada recobra consciência após receber oraçãoUma jovem que havia tido morte cerebral declarada pelos médicos em 2011 despertou após receber oração de um amigo de sua família.

Na noite do dia 11 de setembro de 2011, Taylor Hale saiu com os amigos após assistir a um jogo de futebol em Des Moines, Iowa (EUA). Depois de se divertirem, um dos amigos disse que precisava ir embora. À época, ela tinha 14 anos de idade, e subiu no capô do carro para impedi-lo.

O rapaz, que alegou não ter tido intenção de machucá-la, deu marcha à ré, e a adolescente caiu, batendo a cabeça contra a calçada, segundo informações do Des Moines Register.

Socorrida, Taylor foi submetida a um coma induzido que deveria ser de sete dias, mas no dia 17 de setembro, o sexto da internação, ela sofreu uma hemorragia cerebral descrita pelos médicos como “irreversível”.

Os pais, Stacey Hennigsen e Chuck Hale, ouviram que a lesão cerebral traumática havia causado um deslizamento parcial do cérebro do canal espinhal, o que seria um “ponto sem volta”.

Os médicos disseram que Taylor tinha sofrido morte cerebral e que eles deveriam preocupar-se com questões legais sobre doação de órgãos e funeral. A triste notícia se espalhou e um dos amigos da família, cristão, os visitou dizendo que havia sentido da parte de Deus que deveria visitar a adolescente no hospital para orar por ela.

Jeff Stickel, que atua como quiropraxista, ouviu dos pais de Taylor que ela estava inconsciente, e que não havia nada que pudesse ser feito. Stickel insistiu, perguntou se podia orar com a família pela adolescente, e eles concordaram. Ele então colocou a mão no pescoço da garota em coma e pediu a Deus que poupasse sua vida.

Horas depois, quando Stickel já havia partido, os médicos de Taylor a retiraram dos aparelhos que a mantinham viva, mas ao invés do leitor de batimentos parar de registrar pulso, eles viram que ela se mantinha tentando respirar por conta própria.

Diante disso, os médicos decidiram recolocá-la nos aparelhos, e passaram a notar sinais claros de evolução, com leituras de atividade cerebral, espasmos musculares e outras reações. Em menos de uma semana, a jovem já estava tentando falar.

“Foi a mão de Deus que trabalhou. Essa é a única coisa que pode explicar essa situação”, afirmou o pai de Taylor.

Nos meses seguintes, ela foi submetida a um longo e doloroso processo de recuperação, que em parte foi custeado pelos amigos da adolescente que criaram um fundo de contribuição.