Categorias
Cultos

Halloween: ex-bruxo incentiva igrejas a não celebrar, mas evangelizar

John Ramirez foi considerado um bruxo de grande autoridade nos EUA, mas hoje é um evangelista. (Foto: CBN News)John Ramirez foi considerado um bruxo de grande autoridade nos EUA, mas hoje é um evangelista. (Foto: CBN News)

Com a chegada do Halloween, que é celebrado por muitos nesta quinta-feira (31), em diversas partes do mundo, algumas igrejas acabam aderindo ao costume ou realizam eventos “alternativos”, inspirados de alguma forma pela ocasião.

Por isso, quando se trata de celebrar o Halloween, há um crescente debate dentro da igreja sobre se há problema ou não dos cristãos celebrarem festividade ou não.

No episódio desta semana do programa da agência cristã de comunicação CBN News, ‘Prayer Link’, o ex-bruxo, que já foi considerado um ‘sumo sacerdote satânico’, John Ramirez, compartilhou algumas das coisas que ele praticou no Halloween, incluindo um casamento demoníaco.

“Sacrifícios de animais, rituais e muitas pessoas que eram adoradoras de demônios, médiuns, bruxos e bruxas vieram ao meu casamento porque eles foram capazes de canalizar demônios e principados através de seus corpos para batizar e ‘abençoar’ meu casamento”, explicou Ramirez.

O ex-satanista (que hoje se dedica a pregar o Evangelho) também refutou a ideia de que “não há mal nenhum em cristãos celebrarem o Halloween”.

“Como é que vamos estar em um lugar para saudar e honrar o diabo quando outubro é o mês da bruxaria? Eu vivi isso por 25 anos”, disse Ramirez. “Eu pratiquei isso por 25 anos. Então, você sai do seu lugar, mesmo sem nunca ter acendido uma vela, sacrificado animais, bebido sangue de animais… sem nunca ter se assentado com o diabo e vem me dizer que Halloween é bom? Eu acho que você vive uma ilusão como crente”.

Ramirez também se opõe a igrejas que celebram ‘eventos alternativos’ ao Halloween, incluindo festivais de colheita. Ele encoraja os cristãos a usarem o dia para se concentrarem no evangelismo e na oração.

“Se eu fosse o pastor de alguma dessas igrejas, faria algo para atrair as pessoas, faria talvez uma produção que atraísse pessoas, para mostrar o gráfico e a grosseria do lado sombrio do Halloween, depois mostrar a redenção de Jesus Cristo e então faria um apelo, um convite ao altar”, disse ele.

“Mas por que eu traria doces e abóboras para a igreja?”, ele acrescentou. “Você também pode dizer ao diabo para entrar e se juntar a você. É isso que você está fazendo. Você está convidando o diabo para sua igreja. Você está convidando o diabo para participar de sua congregação, seu rebanho, seus filhos”.

“Eu não me importo se você está vestindo seus filhos como Noé ou Abraão, você está mudando a identidade deles, porque é a corda que o liga ao inimigo que você está comemorando de alguma forma. Mas indiretamente você está comemorando algo que é tão demoníaco que não pode colocar um dedo nele”, explicou Ramirez.

Fonte: Guia-me com informações de CBN News
Categorias
Estudos

Halloween ou Reforma Protestante?

Dia das Bruxas parece querer ofuscar os 498 anos da reforma iniciada por Martinho Lutero

por Jarbas Aragão – gospelprime –

 

Halloween ou Reforma Protestante?
Halloween ou Reforma Protestante?

O dia 31 de outubro de 2015 marca os 498 anos da Reforma Protestante. Nesta data, Martinho Lutero divulgou suas 95 teses contra o papa e a Igreja Católica

Pregados na porta da Catedral da cidade Wittenberg, Alemanha, os argumentos do ex-monge Lutero não pediam que a Igreja se dividisse, mas que passasse por uma reforma teológica, abandonando práticas que contrariavam as Escrituras Sagradas. Rejeitadas pelo Vaticano, foram o início do que seria mais tarde a Igreja Luterana.

Entre as propostas de Lutero estava a de traduzir a Bíblia para que todos pudessem conhecer a Palavra de Deus. Até então isso era privilégio do clero. Foi uma verdadeira revolução no cristianismo. Lutero baseava-se em “5 pilares” que são usados até hoje para definir a fé protestante: “Somente a Escritura, somente a Fé, somente a Graça, somente Cristo e Glória somente a Deus”.

Os ideais se espalharam pela Europa e encontraram eco em vários movimentos similares. Essa é a raiz das igrejas evangélicas que se espalham por todo o mundo até hoje. Embora pouco divulgada pelas igrejas no Brasil, o fato é que a Reforma ajudou a mudar a história.

Há cerca de 20 anos, o 31 de outubro passou a ser cada vez mais o Halloween ou Dia das Bruxas para os brasileiros. Tradição importada dos Estados Unidos, parece ter virado uma espécie de Carnaval fora de época. Muitas escolas já ensinam sobre isso no currículo e o comércio acha uma oportunidade de lucrar com mais uma ‘data festiva’.

A exemplo do que acontece com as festas juninas, algumas igrejas decidiram organizar festivais alternativos, aproveitando a oportunidade do feriado para falar sobre o mundo espiritual da perspectiva bíblica.