Categorias
Ciência

Casos de ‘doença do beijo’ aumentam depois do Carnaval

Mononucleose pode ser transmitida até um ano após a contaminação; médica recomenda evitar beijos e compartilhamento de copos neste período
    • Aline Chalet, do R7*

Mononucleose, herpes, sífilis e caxumba são doenças transmissíveis pelo beijo

Mononucleose, herpes, sífilis e caxumba são doenças transmissíveis pelo beijo

Tiago Queiroz/Estadão Conteúdo – 9.2.2016

Carnaval e blocos de rua costumam atrair um público que, além da música, busca também beijar na boca.

É nesta época que aumenta a incidência da chamada ‘doença do beijo’ e de outras infecções transmissíveis pela saliva, afirma a infectologista Raquel Muarrek.

A mononucleose, uma contaminação viral, é conhecida como doença do beijo por ser transmitida pela saliva. Raquel lembra que compartilhamento de copos e talheres também pode transmitir a doença.

Os sintomas podem levar até três dias para se manifestarem após a contaminação, o que facilita a transmissão de uma pessoa para outra neste período.

A doença causa dor de garganta, fadiga, cansaço, febre, perda de peso e aumento dos gânglios linfáticos. É causada pelo vírus Epstein-Barr. O tratamento consiste em hidratação e repouso.

“A gente recomenda que não compartilhe copo e não beije. A pessoa pode ficar até um ano transmitindo a doença”, afirma a médica.

Outra doença transmissível pela saliva é o citomegalovírus, que possui quadro clínico muito parecido, com a diferença de não apresentar dor de garganta e ter um quadro de febre prolongado.

Segundo o Manual Merck de Diagnóstico e Tratamento, o vírus fica hospedado no corpo do por toda a vida e os sintomas podem reaparecer com queda da imunidade.

Herpes

Outro vírus que permanece no corpo após a contaminação é o da herpes. “O tipo 1 é que podemos pegar pela boca.”, afirma Raquel.

A transmissão pode acontecer mesmo quando as lesões características da doença não estão aparentes, de acordo com o Manual Merck.

A infectologista explica que a pessoa que foi contaminada pode levar até sete dias para apresentar a primeira infecção e até 30 dias para apresentar virologia positiva no exame de sangue.

Segundo Raquel, apenas 15% dos contaminados apresentam herpes recorrente — o restante das pessoas só vai apresentar sintomas quando a imunidade estiver baixa.

Sífilis

Apesar de a transmissão pelo beijo ser incomum, aumentam os registros de casos de sífilis após o Carnaval. A bactéria também pode ser transmitida por sexo oral.

Diferente das outras, virais, esta doença é causada por uma bactéria, Treponema pallidum. Ela é dividida em três estágios.

“No primário, o sintoma é a ferida na região genital. Apesar de incomum, já vi na boca também”, afirma.

A sífilis secundária apresenta manchas na pele e na mucosa da boca e pode apresentar febre. No terciário pode levar à meningite ou miocardite. O tratamento é feito com antibióticos (injeções de penincilina).

Por último, Raquel lembra da caxumba. “Apesar de ser uma doença com vacina, tivemos um surto em 2018 e 2019. Por isso é importante manter a carteira vacinal em dia”, afirma.

A doença pode ficar até 25 dias incubada e começar a ser transmitida até sete dias antes dos primeiros sintomas. O mais conhecido é o inchaço na região do pescoço, mas também apresenta cansaço e febre.

“É uma doença grave, pode levar a orquite [aumento da bolsa escrotal], pancreatite, meningite e até perda auditiva e da visão, já que afeta a parte neurossensorial.”

*Estagiária do R7 sob supervisão de Fernando Mellis

Herpes pode ser contraída em copos mal lavados. Entenda a doença:

Categorias
Cultos Noticias

“Se vai ter Jesus, vai ter Satanás nas escolas públicas”, diz líder de marcha

Movimento é inspirado no Templo Satânico.

Marcha para Jesus. (Foto: Reprodução / Youtube)

No dia 29 de março um grupo pretende realizar em Belo Horizonte, Minas Gerais, a “Marcha para Satanás”, movimento inspirado no Templo Satânico e na Global Order of Satan.

Ao BHAZ, o líder do movimento, que prefere o anonimato, afirmou que o objetivo é lutar contra o “conservadorismo medieval” e diz que “se vai ter Jesus nas escolas públicas, vai ter Satanás nas escolas públicas”.

“Se os imóveis de igrejas não pagam impostos, as casas daqueles que se declaram satanistas também tem que estar isentas”, defende.

A proposta visa combater o cristianismo, defendendo ideias contrárias e ridicularizando os evangélicos e católicos.

A ideia é fazer algo como a “Marcha para Jesus”. Os líderes do movimento fazem críticas aos cristãos e tentam se equiparar.

“[A Marcha para Jesus] infelizmente é marcada por figuras que dizem defender a Família enquanto na verdade disseminam valores opostos ao amor e aceitação (que deveriam ser a base da Família), com atitudes de homofobia, ódio, exclusão, propagando mentiras e criando inimigos imaginários e teorias malucas da conspiração para perpetuar os seus projetos de poder”, atacou.

Segundo disseram ao site, os organizadores querem mostrar à população que “religiões bíblicas não são soberanas e que o Estado é laico”.

Categorias
Artigos

O Legado Congregacional e os Conclaves Assembleares

Pastor Emérito no Coração Pr. Walter Santos & Profª. Zeni Santos
Pastor Emérito no Coração Pr. Walter Santos & Profª. Zeni Santos

Os Batistas tem sua estruturação religiosa fundamentada no Governo Congregacional, submetendo-se a orientação do Espírito Santo personificada na manifestação de vontade da membresia, especialmente dos membros-efetivos, que tem direito a assento, voz e voto nas deliberações religiosas-administrativas, com sua fé em Jesus Cristo como único e suficiente salvador das ´almas´ das pessoas, embasando-se na Bíblia Sagrada como Regra de Fé e Prática, subordinando-se exclusivamente a direção de Deus, com a proposição de esperança, de transformação, de “uma vida em abundância”, como ensina o Cristianismo.

Enfatizamos que foi neste salutar ambiente eclesiástico, ainda adolescente, na década de 1970, que tivemos a satisfação de aprender com o “Pastor-Emérito do Coração”, Pr. Walter Santos, eis que, por este Homem de Deus recebemos o batismo em 1980 na PIB em São João de Meriti/RJ, o qual, juntamente com sua esposa, proficiente auxiliadora, Profa. Zeni Santos, diretora de escolas, liderou a Igreja por quase 32 anos, tendo durante seu Ministério Pastoral edificado um Moderníssimo Santuário, inaugurado em 1971, até a ocasião, pela maior Assembleia da Convenção Batista Fluminense, uma das inúmeras marcas de sua profícua liderança espiritual e comunitária, inclusive reconhecida junto à Sociedade Civil Meritiense.

Ele, que sempre teve uma respeitada atuação denominacional, seja na Associação Meritiense, na Convenção Fluminense, e ainda, na Convenção Brasileira, compartilhou vivencialmente ensinamentos da democracia batista, praticando as regras parlamentares na assembleias da Igreja, além de incentivar os membros a participar da vida eclesiástica, sobretudo dos Conclaves Deliberativos Denominacionais, em todos os níveis, pelo que, com satisfação prestamos este ‘Preito de Gratidão’ e estimamos com afeto de filho na fé a este amado Casal de Obreiros da Causa do Senhor, pelo ensino do legado congregacional, sistema de governo eclesiástico em que os membros efetivamente participam nas deliberações da Igreja.

A PIB São João de Meriti/RJ, onde há mais de quatro décadas congregamos, juntamente com a esposa Diác. Soraia Garcia, com quem enamoramos há trinta anos, e, a filha Alana Garcia, que é a 5ª Geração de Batistas na Família, celebra neste Ano de 2020, ‘Jubileu de Sândalo’ de Organização Denominacional pela PIB Jacarepaguá, Rio/RJ, sob a orientação do pioneiro Pr. Salomão Ginsburg, sendo que, neste período de 95 Anos de Instituição Eclesiástica foi praticamente presidida por quatro Líderes Espirituais: Pr Joaquim Rosa (29a), Pr. Walter Santos (32a), Pr. José Maria de Souza (20a), e, pelo Pr. Claudio de Souza, nos últimos 10 anos; cultivando ao longo da história o legado congregacional deliberativo dos batistas.

É de se ressaltar que Igrejas tradicionais se mantém praticando os princípios do Governo Congregacional, e até encontrando estratégias de ressignificação a indispensável participação dos membros nas deliberações, inclusive através da implementação de ferramentas digitais, modernização no formato das assembleias, além da conscientização dos membros da participação nos destinos da Grei, enfatizando a intrínseca relação do Sistema de Governo com a Igreja, eis que, este identifica os batistas ao longo da história, seja nos Cultos, EBD, Reuniões, Treinamentos etc; em algumas Congregações tem-se adotado um sistema de governança representativo, onde os membros elegem pessoas que atuam em Conselhos Administrativos, sejam de áreas ministeriais, de grupos etários, por funções eclesiásticas etc, os quais deliberam assuntos temáticos atinentes a governança, embasado no Estatuto Associativo da Igreja.

Estas pessoas assumem o comprometimento de compartilhar as referidas decisões, numa proposição de transparência com a prestação de relatórios etc, através participação da Diretoria Estatutária, Ministério Diaconal, Conselho Fiscal, Conselho de Ética, Diretores de Departamentos, Professores da EBD etc, socializando as informações que devem ser conhecidas dos fiéis, sendo estas deliberações submetidas a homologação de toda a membresia, o que não desobriga a Igreja a exercer a governança com transparência, buscando a aprovação da Congregação nas decisões de impacto na Comunidade de Fé.

As Assembleias Denominacionais se realizam no município, Associação Regional, no estado, Convenção Estadual, no país, Convenção Brasileira, no continente, União Latino-Americana, e, internacional, a Aliança Batista Mundial, que após 60 anos volta a se reunir no Brasil em 2020, não havendo hierarquia entre estas Entidades Denominacionais e a Congregação Batista, à luz do princípio da Autonomia da Igreja Local, e sim uma atuação cooperativa e voluntária, de sinergia de esforços em prol do Reino de Deus.

Com esta proposição os Batistas Fluminenses se reuniram na Cidade de São Gonçalo/RJ para a realização de mais uma Assembleia Convencional, que em 2019 ocorreu sob a presidência do Pr. Vanderlei Marins (PIB Alcântara/RJ), onde tivemos a alegria de completar 35 anos de participação na condição de ‘delegado’ da Igreja às Assembleias da Convenção Batista Fluminense (CBF), tendo como mensageiro direito a assento, voz, voto, igualmente a outros irmãos em Cristo, nos debates convencionais, usufruindo do legado congregacional construído ao longo da história, desde os protestantes holandeses.

Destacamos, com alegria, que há mais de duas décadas temos contribuído com os Conclaves Assembleares dos Batistas Fluminenses, e, dos Batistas Brasileiros, inclusive na presidência da Comissão de Assessoria Jurídico-Parlamentar, provendo suporte legal preventivo à Mesa Diretora e ao Plenário Convencional, retribuindo o aprendizado recebido ao longo dos anos de diversos líderes denominacionais, cooperando para que o Legado Congregacional deliberativo seja usufruído plenamente, pelos civilmente capazes, à luz do Ordenamento Jurídico Nacional, embasados na Constituição Federal, Código Civil, Estatuto Associativo, Regimento Interno e Regras Parlamentares aprovadas pelos Mensageiros das Igrejas, que elegeram o Pr. Elildes Macharete (PIB Barra de São João, São Pedro da Aldeia/RJ) para conduzir os destinos da CBF, e presidir a Assembleia de 2020, na Cidade de Campos dos Goytacazes/RJ.

Dr. Gilberto Garcia