O CASAMENTO NO PROJETO DIVINO

VIDA EM FAMÍLIA – CASAIS

 

Qual é o propósito de Deus para o casamento?

     A falta de um propósito definido para o casamento e a instituição da família faz com que muitos se desviem para objetivos equivocados, fazendo dos meios um fim e do secundário o primordial. Talvez em nenhum outro relacionamento a alegria pode ser tão rica e, contudo, a dor tão profunda como no casamento. Os alvos, projetos e objetivos equivocados resultam nas desgraças e derrotas experimentadas por tantas famílias, com os casamentos desintegrando-se numa alarmante proporção, terminando milhares deles em separação legal cada ano, não contando aqueles que são resolvidos pelas partes sem passar pela Justiça.

     Casam-se pensando que o fato de terem um cônjuge, filhos, trabalho e adquirirem coisas resumem o objetivo principal. Imaginam que sendo bons pais, provendo comida, roupa, habitação, educação escolar, assistência médica, recreação, etc. estão cumprindo o propósito fundamental do casamento. Embora todas estas coisas sejam necessárias, não são fundamentais.

     Existem ainda os que fazem do casamento uma oportunidade de conquistar seus objetivos pessoais. São os que pensam em si mesmos, cujo propósito não é dar, mas receber; não é servir, mas ser servido, e isto nos aspectos mais abrangentes, desde o material ao sexual, e nas demais responsabilidades (Salmos 127: 1).

     Há aqueles cuja meta é o conforto. Perdem a vida desejando e trabalhando para alcançar o desejado; depois continuam trabalhando para manter o alcançado. Sacrificam a família para poder alcançar seus propósitos (Lucas 12: 15).

     Há também os que fazem dos benefícios legítimos do casamento o propósito da família um fim em si mesmo. A felicidade e as conveniências são as metas da vida familiar. São os que consideram Deus um excelente meio para a conquista dos seus projetos, objetivando sua comodidade e prazer. Os legítimos benefícios, como a alegria de viver em companhia, o dar e o receber afeto, as relações sexuais, a felicidade, a cobertura e proteção, o ter filhos e o senso de pertencer a um núcleo familiar, não consistem no propósito fundamental do casamento. Tudo isso é uma realidade dentro do relacionamento conjugal, mas seria correto fazer deles o propósito para o casamento e a família? (Romanos 11: 36).

Data: 12/7/2011 09:36:11

Fonte: Blog Pastor Carlos Alberto Bezerra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.