Cruz Vermelha proíbe cristãos de orar e ler a Bíblia em abrigos

Policial foi proibido de orar por pessoas em abrigo

 

 

orando-na-cruz-vermelha Cruz Vermelha proíbe cristãos de orar e ler a Bíblia em abrigos
A organização médica humanitária Cruz Vermelha tem na sua fundação os ideais cristãos de amor ao próximo, daí a escolha do seu símbolo identificado com o cristianismo. Contudo, nos Estados Unidos ela está impedindo expressões de fé dentro dos abrigos usados para socorrer as vítimas das enchentes em Luisiana.
O capitão da polícia Clay Higgins estava orando pelas pessoas dentro de um desses locais na cidade de Lafayette quando foi pedido que ele saísse. Ele vestia o uniforme e carregava consigo uma Bíblia, trazendo palavras de esperança para as pessoas. Um supervisor da Cruz Vermelha explicou a ele que não eram permitidas manifestações religiosas em seus abrigos.

“Eu não estava fazendo proselitismo, apenas agradeci aos voluntários e me ofereci para orar e encorajar as pessoas”, afirmou Higgins à revista Charisma. “O supervisor me disse que a Cruz Vermelha não é uma organização religiosa e também não admite aconselhamento espiritual com as vítimas”, relatou. Resignado, ele foi para a frente do abrigo e continuou orando por quem aceitava.

Segundo a Charisma, quatro famílias precisaram sair de um abrigo da Cruz Vermelha na cidade de Albany, capital do estado de Nova Iorque. Eles estavam orando e fazendo leituras bíblicas em suas camas. Os cristãos procuraram uma igreja e conversaram com um pastor da cidade que foi até o local a fim de que questionar o procedimento.

Antes de entrar encontrou outras pessoas que reclamavam da proibição da livre manifestação da fé, pois os funcionários não permitiam que eles lessem suas Bíblias no local.

A Charisma procurou a sede da Cruz Vermelha Americana buscando entender os motivos dessas proibições, mas foi informada que as atividades religiosas não são proibidas. A porta-voz da instituição, Elizabeth Penniman, afirmou em comunicado que existem inclusive um programa de Cuidado Espiritual, onde pessoas treinadas prestam auxilio a membros de “todas as religiões”.

A representante da Cruz Vermelha da Louisina alegou que eles têm “por princípio, respeitar todas as manifestações de fé” e que se o policial tivesse procurado os supervisores certamente poderia fazer as orações. O capitão Higgins diz que tentou, mas não foi atendido.

Siga-nos