Coreia do Norte faz vídeo para mostrar que cristãos são ‘espiões’ em ‘missão do inimigo’

A Coreia do Norte, liderada por Kim Jong-un, é classificada como o pior país para perseguição cristã na lista anual mundial de portas abertas. (Reuters / KCNA)A Coreia do Norte, liderada por Kim Jong-un, é classificada como o pior país para perseguição cristã na lista anual mundial de portas abertas.
(Reuters / KCNA)

Um vídeo de propaganda pelo regime comunista da Coreia do Norte recém-descoberto revela como o governo norte-coreano procura silenciar o cristianismo pintando os crentes como “fanáticos religiosos” e “espiões” empenhados em minar a estabilidade do reino eremita.

Obtido pela The Voice of the Martyrs (VOM), uma organização cristã sem fins lucrativos que apoia crentes perseguidos em todo o mundo, o vídeo foi supostamente usado para ensinar aos agentes de segurança do estado como identificar e silenciar aqueles que promovem a religião na Coreia do Norte.

O vídeo mostra a história da evangelista cristã Cha Deoksun, que, depois de sofrer durante a Grande Fome nos anos 1990, que matou cerca de 2,5 milhões de pessoas, fugiu ilegalmente para a China em busca de seu tio. Depois de saber que seu tio havia morrido, Deoksun foi à Igreja Seotap, onde ouviu o Evangelho pela primeira vez.

“A Igreja Seotap é operada por pastores disfarçados do serviço secreto do governo da Coreia do Sul”, afirma o vídeo. “Ela abriga invasores ilegais de rua, fornecendo estudo religioso antirrepublica (anti-norte-coreana), treinando-os efetivamente como espiões.”

O vídeo diz que Deoksun “ingenuamente acreditou nos sermões sobre um Deus misericordioso e se tornou uma crente fanática” que retornou à Coreia do Norte para formar uma rede subterrânea de cristãos dentro do país.

“Ela foi completamente enganada pelo inimigo [cristianismo]”, acrescenta.

Ao retornar à Coreia do Norte, Deoksun se entregou por violar a lei cruzando a China, mas as autoridades foram “brandas” e a deixaram ir, diz o vídeo.

“Em vez de agradecer o partido político que perdoa (Partido dos Trabalhadores da Coreia), ela agradeceu ao ‘Deus da misericórdia’”, afirma o vídeo.

Por estar empobrecida, Cha Deoksun viajou de cidade em cidade para ganhar dinheiro. De acordo com o vídeo, a evangelista dava dinheiro aos pobres e necessitados e se reunia com outros cristãos clandestinos todos os domingos para adorar, orar, cantar hinos e estudar as escrituras. Graças aos esforços evangelísticos dela, sua família e várias outras pessoas se converteram ao cristianismo.

O vídeo a descreve como uma “espiã” que procurou recrutar outros espiões e como uma “fanática religiosa” em uma “missão do inimigo”, “tentando absurdamente estabelecer o reino de Deus”.

Cha Deoksun foi denunciada às autoridades por “um cidadão norte-coreano bom e despertado”. A VOM acredita que ela foi morta por um esquadrão de fuzilamento ou morreu em um gulag.

“Não está claro como Deoksun morreu, mas é possível que ela tenha sido executada”, observa VOM, acrescentando que o Cha Deoksun “serviu ao Senhor sem reconhecimento, assim como muitos cristãos norte-coreanos fazem hoje, apesar das tentativas de seu governo de erradicar o cristianismo”.

A Coreia do Norte é classificada como o pior país para a perseguição cristã na Lista Mundial da Perseguição da Portas Abertas. A organização estima que muitos dos cidadãos do país – incluindo cerca de 50.000 fiéis – estão detidos em centros de detenção, prisões ou campos políticos.

Recentemente, Kenneth Bae, um pastor coreano-americano que foi mantido refém na Coreia do Norte de 2012 a 2014, compartilhou como o governo norte-coreano tem mais medo dos cristãos do que armas nucleares.

“Eles disseram: ‘não temos medo de armas nucleares temos medo de alguém como você trazer a religião para o nosso país e usá-la contra nós, e todos se voltarão para Deus e isso se tornará o país de Deus e cairemos’”, disse Bae.

Por causa de seus esforços evangelísticos, Bae foi condenado a 15 anos de trabalho duro e depois foi enviado para um campo de trabalho norte-coreano. Ele foi finalmente libertado em 2014. Ele revelou que, quando falava sobre Jesus com os norte-coreanos, eles perguntavam se Jesus mora na Coreia ou na China.

“A Coreia do Norte não é um país onde os cristãos estão sendo perseguidos; é um país [onde] o cristianismo foi eliminado, a total eliminação ocorrendo”, enfatizou. “E se você é cristão, eles matam você, matam seus pais.”

Fonte: Guia-me com informações de The Christian Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.