Categorias
Artigos

Estaríamos vivendo o começo do Apocalipse?

Série de trágicos eventos globais em 2020 faz com que muitos acreditem que estamos vivendo o Apocalipse.

Estaríamos vivendo o começo do Apocalipse?
Os quatro cavaleiros do Apocalipse. Crédito: Wikipedia

Fala-se do fim do mundo se aproximando novamente – e desta vez os cristãos atestam que a prova bíblica de que o planeta Terra pode estar chegando ao fim de uma era é irrefutável.

Eles dizem que os sinais estão à nossa volta:

  • Terremoto de magnitude 7,7 que atingiu o vale de Cayman em janeiro
  • Tensões entre os EUA e o Irã que quase escalaram em guerra total
  • Incêndios devastadores e tempestades de poeira que devastaram a Austrália
  • Enxames de gafanhotos que assolam a África que ameaça a segurança alimentar de milhões
  • Turbulência política na Europa que abriu caminho para a Grã-Bretanha dar as costas aos vizinhos da UE
  • Extremos climáticos em todo o mundo
  • Surto de uma pandemia virulenta do COVID-19, junto com sua brutal canibalização dos mercados financeiros globais.

O fim do mundo, como muitos estudiosos cristãos vêem, não significa que o mundo terminará amanhã ou na próxima semana, mas que os recentes eventos de tremor de terra são um sinal de alerta de que estamos prestes a entrar em um novo período de turbulência e tribulações planetárias.

Na Bíblia, esse período agourento de sofrimento e angústia global sem precedentes é precedido por uma intervenção de Deus no curso dos assuntos humanos. Os anciãos Hopi têm até um nome para isso. Eles se referem a esse período problemático como A Grande Purificação e dizem que poucos provavelmente sobreviverão a ele.

No mundo secular de hoje, onde ciência e tecnologia têm uma resposta digital para praticamente tudo, essa conversa, por mais convincentes que sejam os argumentos, não é um bom presságio para a sociedade humanista de hoje. Na sua opinião, a realidade é linear, ditada pela razão, governada pelas leis da ciência e não sujeita a nenhuma mudança de vida causada por um reino sobrenatural.

Seja como for, ninguém pode argumentar que o ano de 2020 está começando notavelmente diferente de qualquer outro que a maioria de nós já viu em nossos tempos de vida. Tudo isso é realçado por uma série cada vez maior de crises que estão ameaçando a vida neste planeta para todos nós.

Os problemas do planeta são numerosos e complexos: mudança climática, acidez e poluição dos oceanos, escassez de alimentos e água, aumento das emissões de carbono, erradicação de florestas tropicais e destruição de recifes de coral, demanda insustentável de alimentos, novos padrões de doenças emergentes e crescente resistência antimicrobiana, o derretimento das calotas polares e a subida subsequente do nível do mar em todo o mundo.

Ciência e religião nunca concordam plenamente uma com a outra – mas, pelo menos agora, elas podem se encontrar na mesma sala e discutir e abordar, ou mesmo resolver alguns dos problemas mais urgentes do mundo.

Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas. Na terra, as nações se verão em angústia e perplexidade com o bramido e a agitação do mar.

Os homens desmaiarão de terror, apreensivos com o que estará sobrevindo ao mundo; e os poderes celestes serão abalados.

Lucas 21:25,26

Sinais no Sol, na Lua e nas estrelas

Uma estrela jovem e brilhante tem agido um pouco errática ultimamente. A estrela, Betelgeuse, está subitamente escurecendo. Pode ser um sinal, dizem os astrônomos, de que a estrela está prestes a explodir. Outra possibilidade é que a supergigante vermelha esteja apenas passando por uma fase.

Ed Guinan, professor de astronomia da Universidade Villanova, foi o principal autor de um artigo de 8 de dezembro intitulado “The Fainting of the Nearby Supergiant Betelgeuse” (O Esvaecimento da Supergigante Betelgeuse nas Proximidades’. Ele disse à CNN que Betelgeuse tem diminuído bastante desde outubro, e agora está 2,5 vezes mais fraca que o normal. A nona estrela mais brilhante do céu, Betelgeuse caiu agora para a 23ª mais brilhante (embora pareça agora estar recuperando seu brilho). No último meio século, a estrela nunca diminuiu de forma tão agressiva, e isso pode significar que estamos à beira de algo extraordinário. –CNN, 26 de dezembro de 2019

O mar e as ondas rugem

Uma criança está morta e outra está desaparecida depois de serem levadas para o mar com seu pai no estado de Oregon (EUA), no sábado, informou a polícia. Jeremy Stiles, 47, de Portland, estava segurando sua filha de 7 anos, Lola, e seu filho de 4 anos, William, na praia de Falcon Cove, em Arch Cape, na tarde de sábado, quando uma onda os levou ao oceano, a polícia do estado de Oregon A polícia disse em um comunicado.

A polícia que chegou ao local encontrou Stiles lutando para sair da água, enquanto sua filha estava mais longe no oceano. Um policial do Departamento de Polícia de Manzanita conseguiu levar a garota de volta à costa, de acordo com o comunicado. A trilha que eles estavam usando foi atingida por uma onda surpresa, segundo a família.

As ondas surpresa são “ondas maiores que a média que podem repentinamente e sem aviso disparar dezenas de metros acima da praia do que o esperado”, segundo o Serviço Nacional de Meteorologia. –CNN 13 de janeiro de 2020

(Fonte)n3m3

Categorias
Cultos

Uma profecia de 900 anos afirma que o Papa Francisco marcará o dia do juízo final?

O fim do mundo foi previsto há quase 900 anos por um santo irlandês, e alguns acreditam que haverá apenas mais um Papa depois de Bento XVI.
Uma profecia de 900 anos afirma que o Papa Francisco marcará o dia do juízo final?O Papa Francisco pôde ver o fim do mundo (Imagem: GETTY)

Sào Malaquias foi o arcebispo de Armagh, a quem vários milagres foram atribuídos no século XII.

Em 1139, Malaquias foi a Roma, da Irlanda, para relatar seus assuntos, quando recebeu uma estranha visão sobre o futuro, incluindo os nomes de 112 futuros papas.

Suas previsões são levadas a sério por muitos cristãos e, de acordo com relatos, “em 1958, antes do Conclave que elegeu o Papa João XXIII, o cardeal Spellman, de Nova Iorque, contratou um barco, o encheu de ovelhas e subiu e desceu o rio Tibre”.

Ele fez isso para mostrar que ele era ‘pastor et nauta‘, ou ‘pastor e marinheiro’, o lema atribuído ao próximo papa nas profecias, coincidindo com João XXIII.

Quanto à profecia referente ao 111º papa, Papa Bento XVI, a profecia diz sobre ele, ‘Gloria Olivae‘, que significa ‘a Glória da Oliva’.

A Ordem de São Bento também é conhecida como olivetanos, o que muitos dizem que torna as profecias de Malaquias corretas.

No entanto, sua previsão para o 112º e atual papa, Francisco, é muito mais assustadora.

Ela diz:

Na perseguição final da Santa Igreja Romana, reinará Pedro, o Romano, que alimentará seu rebanho em meio a muitas tribulações, após as quais a cidade de sete colinas será destruída e o terrível juiz julgará o povo.

Fim.

O pai do papa atual era Pietro, ou Pedro, e era da Itália, embora a família se mudou para a Argentina.

A profecia dos papas foi publicada pela primeira vez pelo monge beneditino Arnold Wion em 1595, atribuindo as reivindicações a Malaquias.

Dada a descrição muito precisa dos papas até 1590 e a falta de precisão dos papas a seguir, os historiadores geralmente concluem que a alegada profecia é uma invenção escrita pouco antes da publicação.

Uma teoria para explicar a criação da profecia apresentada pelo padre francês do século XVII, Louis Moreri, é que ela foi divulgada pelo cardeal Girolamo Simoncelli em apoio à sua própria tentativa de se tornar papa durante o conclave de 1590 para substituir Urbano VII.

São Malaquias foi o arcebispo de Armagh (Imagem: GETTY)

Na profecia, o papa após Urbano VII recebe a descrição ‘Ex Antiquitate Urbis‘ ou ‘da Cidade Antiga’, e Simoncelli era de Orvieto, que em latim é Urbevetanum, cidade antiga.

Moreri e outros propuseram que a profecia foi criada em uma tentativa frustrada de demonstrar que Simoncelli estava destinado a ser papa.

Porém, este não é o único texto antigo que se diz ler o futuro.

Muitos também alegaram que Nostradamus – um astrólogo francês, médico e vidente – previu o fim do mundo em sua obra ‘Les Profheties‘.

O ‘Nostradamus Decoded‘ (Nostradamus Decodificado) do Science Channel afirmou que ele fez uma referência ao Armagedom no prefácio de seu famoso texto.

O narrador disse em 2013:

Embora ele tenha vivido cinco séculos atrás, Nostradamus alegou que poderia ver o futuro.

Apesar de toda a sua linguagem vaga, essas previsões apontam para o fim do mundo.

A referência ao ano de 3797 não está codificada nas quadras, mas é mencionada no prefácio de seu livro de profecias e seu significado literal não é um aviso, mas uma confissão.

O ano de 3797 poderia ser uma referência celestial codificada, considerando o uso frequente de astrologia e astronomia por Nostradamus.

No entanto, Douglas Kibbee, professor de história francesa da Universidade de Illinois, diz que há uma simples razão pela qual isso não é verdade.

Ele argumentou:

Nostradamus estava dando suas profecias, ele disse que elas seriam válidas a partir do dia em que ele escreveu seu prefácio, que era 1555, até o ano de 3797, ele não podia ver além disso.

Isso não significa que isso seja o fim do mundo.

Significa apenas que era o mais longe que ele podia ver.

(Fonte)

Categorias
Cultos

Asteroide de 55 milhões de toneladas está na direção da Terra, diz NASA

Imagem de: Asteroide de 55 milhões de toneladas está na direção da Terra, diz NASA
Fonte: Pixabay

O setor de rastreamento da NASA informou que um asteroide de 340m de diâmetro e 55 milhões de toneladas está a caminho da Terra, com chegada prevista para 3 de outubro. O risco de cataclismo é baixo, mas caso o asteroide saia de sua rota e entre no planeta, sua força destrutiva será igual a 2.700 megaton — para se ter ideia, a bomba de Hiroshima tinha entre 13 e 18 quiloton.

Chamado de FT3, o asteroide será o primeiro de 165 aproximações esperadas pela NASA entre 2019 e 2116. Com o tempo será possível determinar se as possibilidades de colisão irão aumentar ou diminuir. Caso entrasse na atmosfera terrestre, o FT3 ganharia uma velocidade de 45.500 km/h.

O asteroide é uma rocha espacial que circunda o Sol dentro do cinturão entre Marte e Júpiter. A NASA vem monitorando sua rota desde 2007 e diz que há 99,9999908% de chances dele não acertar à Terra.

Potencialmente, no caso da mudança de rota dias antes de uma suposta colisão, pouco poderia ser feito. “Um asteroide em uma trajetória de impacto na Terra não poderia ser abatido nos últimos minutos ou mesmo horas antes do impacto”, afirma a agência.

Basta esperar e torcer para que o FT3 siga seu curso normal.

  Fontes: Express