Categorias
Noticias

NO TWITTER, JESUS SERIA UM SUCESSO diz Percival de Souza

 

Percival de Souza disse que mensagem cristã precisa ser objetiva

Por: Redação Creio

O comentarista de TV, Percival de Souza, durante a entrega da homenagem ao Dia da Mídia, nesta segunda-feira, dia 21 de junho, em São Paulo disse que ‘se Jesus usasse o twitter, seria um sucesso’. Pois em toda sua vida Ele proferiu, segundo estudos, seis mil palavras sempre de forma clara e objetiva. O metodista criticou ainda o que ele chama de púlpito rouco, que foge da essência da palavra.

Percival disse que fez um estudo e chegou à conclusão que durante sua vida Jesus proferiu seis mil palavras o que, segundo ele, é um contra-senso aos sermões atuais que duram até três horas. “Se comparamos a mensagem de Jesus foi curta, com clareza, com começo, meio e fim. Se ele usasse o twitter nos tempos atuais, seria um sucesso”, comparou. Mesmo com objetividade, Jesus era compreendido por todos, sem fugir da clareza dos ensinamentos.

O jornalista lembrou que por conta destes amplos estudos, mensagens sem contexto, a essência da Palavra tem sido distorcida, gerando assim, o fenômeno que ele chama de Púlpito Rouco. “Para ensinar há uma condição essencial que é o saber, ter conhecimento. Tem muita gente falando sem essência e condição de transmitir a palavra que transforma”, destacou.

Data: 24/6/2010

Categorias
Noticias

Deputado evangélico quer Jesus Cristo no mesmo nível do Preto Velho

 

Julio Severo

Com o avanço e aprovação de projetos de leis declarando entidades das religiões afro-brasileiras como patrimônio do Rio de Janeiro, um deputado evangélico teve uma ideia “brilhante”: declarar Jesus Cristo também patrimônio.

O grande número de igrejas e pastores no Rio não está sendo suficiente para impedir o avanço da escuridão dos orixás nas leis do Rio. A união faz a força contra o mal, mas a desunião entre as igrejas fortalece a união do mal.

A mais recente “resistência” da liderança evangélica à onda de consagrações estatais às entidades do candomblé e outras religiões afros foi o Projeto de Lei 3134/2010, de autoria do Dep. Édino Fonseca, que “declara JESUS CRISTO como patrimônio imaterial do Estado do Rio de Janeiro”. O PL foi apresentado em 8 de junho de 2010 na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

O Rio de Janeiro já havia consagrado legalmente o Preto Velho patrimônio imaterial do Rio de Janeiro. Agora, o Dep. Fonseca quer a vez de Jesus Cristo!

O Estado “laico” sorri com tal iniciativa, pois sua intenção sempre foi colocar no mesmo nível todos os deuses e religiões. Com a ajuda de evangélicos que desconhecem o que é um genuíno chamado político e espiritual, o panteão religioso do Estado laico vai ter todos os tipos de deuses e deusas, mas a adoração suprema, é claro, só poderá ser dada ao supremo Estado laico, que se enxerga como o senhor dos senhores e rei dos reis.

Tenho amigos muito queridos na Assembleia de Deus. Espero que líderes consagrados dessa abençoada denominação possam fazer uma visita a esse deputado e lhe oferecer uma oração de libertação.

Entretanto, qual é a real posição de Jesus Cristo diante de Iemanjá, Preto Velho, Buda, Lula, Obama, ONU e suas vontades?

“Cristo… [está assentado]… nas regiões celestiais, muito acima de todo governo e autoridade, poder e domínio, e de todo nome que se possa mencionar, não apenas nesta era, mas também na que há de vir”. (Efésios 1:20-21 NVI)

“Cristo reina sobre todos os governos celestiais, autoridades, forças e poderes. Ele tem um título que está acima de todos os títulos das autoridades que existem neste mundo e no mundo que há de vir.” (Efésios 1:20-21 BLH)

Jesus Cristo está também muito acima do Estado laico, pois Ele é o verdadeiro e único Senhor dos senhores e Rei dos reis.

Qualquer político ou Estado que coloque Jesus no nível dos outros deuses está fadado a perecer.

Mas todo político ou Estado que coloque Jesus acima de si mesmo terá um futuro glorioso.

Fonte: www.juliosevero.com

Categorias
Noticias

Estudantes cristãos agredidos agradecem por terem sofrido por Jesus

PRÁTICA DA FÉ

     Os missionários em treinamento pela Gospel for Asia falaram sobre o privilégio que sentiram ao sofrer por Cristo após serem atacados em sua faculdade bíblica em Mumbai, Índia, no início do mês.
     Sete estudantes ficaram gravemente feridos quando um grupo invadiu o campus da faculdade bíblica na noite de domingo em Mumbai, Índia. Os alunos estavam preparando sua refeição quando os agressores, armados com paus e barras de ferro, entraram no campus e começaram a bater neles. Os cristãos tentaram conversar com seus agressores e perguntar qual era a queixa contra eles, mas não obtiveram resposta.
     Hemanti Kashyap ficou ferido quando os agressores o atingiram no estômago com uma barra de ferro. Ele afirma que o incidente deu a oportunidade de colocar em prática todas as lições que ele aprendeu na faculdade.
     “Através dessa situação, aprendi o que a Bíblia quer dizer quando afirma: ‘Bem-aventurados os que sofrem por Cristo’. Essa oposição foi o teste para que minha fé siga em frente, e para que eu compartilhe o evangelho. Eles atingiram meu estômago com uma barra de ferro, e me feriram, mas sou grato ao Senhor Jesus, que me guardou, para ser uma testemunha dele.”
     Sunil Pattanayap relembra o momento do ataque: “Por um instante fiquei chocado, querendo saber por que aquilo estava acontecendo comigo. Então, eu compreendi que havia chegado o momento de glorificar o nome do Senhor”.
     “Foi um privilégio sofrer por Cristo, e estou feliz porque posso testificar que Deus me protegeu e me livrou da morte, para que eu pudesse proclamar sua Palavra e permanecer firme como testemunha viva, com uma grande fé.”
     Três dos estudantes feridos ainda estão se recuperando no hospital. Beedram Sena teve que ser submetido a uma cirurgia devido à fratura em sua perna. Sudershan Yadavan precisou ser operado para tratar sua rótula quebrada. Sunil Reedy precisou de tratamento dentário para substituir os dentes arrancados pelos agressores.
     Brijeshware Nayan, que teve ferimentos em suas costas, mas não precisou ficar hospitalizado, afirmou que o ataque o ajudou a ver o valor espiritual do sofrimento.
     Ele diz: “Eu vim para cá para servir ao Senhor. Se eu ficar com medo dessa oposição, como poderemos aprender a crescer em fé?”.
     “Esse tipo de perseguição só prova que as pessoas precisam conhecer o amor de Cristo. É a única forma de eles encontrarem razão em suas vidas e um propósito para transformar o ódio em amor.”

Fonte: Missões Portas Abertas