Categorias
Noticias

Pessoas foram queimadas vivas em Mianmar na véspera de Natal

Fotos postadas nas redes sociais mostraram dois caminhões e um carro incendiados em uma estrada no município de Hpruso, no estado de Kayah, com corpos dentro.
Fotos postadas nas redes sociais mostraram dois caminhões e um carro incendiados em uma estrada no município de Hpruso, no estado de Kayah, com corpos dentro.

Enquanto muitos comemoravam o Natal, dezenas de pessoas foram queimadas vivas em Mianmar, pelo Tadmadaw — nome oficial das forças armadas birmanesas, que perseguem grupos étnicos e religiosos no país.

De acordo com Benedict Rogers, analista sênior da CSW para o Leste Asiático, é necessário que haja um embargo global de armas. A CSW é uma instituição de caridade cristã que está convocando a comunidade internacional a tomar medidas urgentes depois de denunciar tantas atrocidades.

“Há relatos de que pelo menos 35 civis inocentes foram queimados vivos na véspera de Natal”, disse Rogers. Ele também aponta para outras violações flagrantes contra o povo de Mianmar.

Sobre o massacre

A Christian Solidarity Worldwide (CSW) esclareceu que os crimes foram cometidos no estado de Kayah. Entre as vítimas estavam mulheres, idosos e crianças.

Os corpos foram encontrados pelo Grupo de Direitos Humanos Karenni (KHRG), no dia de Natal, sábado (25), conforme o Christian Today. A CSW também recebeu relatos de pessoas sendo usadas como escudos humanos e de minas terrestres colocadas ao redor das aldeias.

O massacre é o mais recente de uma série de ataques violentos no estado de Kayah, que deixaram mais de 600 casas, seis igrejas e pelo menos uma clínica destruídas entre maio e dezembro deste ano.

Crimes contra a humanidade

O Dr. Sasa, porta-voz do Governo de Unidade Nacional de Mianmar e enviado especial de Mianmar às Nações Unidas, condenou fortemente os recentes assassinatos.

“Esses atos constituem claramente os piores crimes contra a humanidade e esperamos que todos os povos e governos em todo o mundo condenem esses atos”, escreveu em comunicado.

Sasa espera que os criminosos sejam levados à justiça e totalmente responsabilizados por suas ações. “Que haja condenação”, ele enfatizou.

“Pedimos, mais uma vez, uma ação internacional urgente e, especificamente, a imposição rápida e abrangente de um embargo global de armas ao país como forma de pressionar o regime militar a pôr fim a essas atrocidades horríveis”, disse.

Governo birmanês nega

Conforme a agência de notícias AFP, a junta militar de Mianmar negou nesta segunda-feira (27) o massacre de civis. Mas, um porta-voz da junta militar, Zaw Min Tun, admitiu que ocorreram confrontos na área, na sexta-feira, e que soldados mataram várias pessoas, sem dar mais detalhes.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros alegou em comunicado que as notícias têm origem em “elementos antigovernamentais, terroristas e grupos rebeldes” e que não foram verificadas, conforme a imprensa oficial. Entre os mortos, porém, havia crianças.

A ONG Save the Children anunciou mais tarde que dois de seus funcionários na Birmânia estavam “desaparecidos”. Mianmar está mergulhada no caos desde o golpe ocorrido no início de fevereiro, que encerrou uma transição democrática de 10 anos. Em apenas 10 meses, mais de 1.300 civis morreram, segundo a Associação de Assistência a Presos Políticos (AAPP), uma ONG local.

O subsecretário-geral da ONU, Martin Griffiths, disse neste domingo (26) que ficou horrorizado com as notícias do ataque. “Condeno esses eventos graves”, ele declarou através de comunicado, onde exortou que as autoridades iniciem “imediatamente uma investigação séria e transparente”.

Fonte: Guia-me com informações de The Christian Today

Categorias
Cultos

“EUA têm um Salvador, e não sou eu”, diz Trump ao apontar Jesus em culto de Natal

O ex-presidente americano falou durante um culto da Primeira Igreja Batista de Dallas.
FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO DALLAS MORNING NEWS
Ex-presidente Donald Trump durante culto nos EUA. (Foto: First Baptist Dallas/Facebook)
Ex-presidente Donald Trump durante culto nos EUA. (Foto: First Baptist Dallas/Facebook)

O ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, visitou um culto da Primeira Igreja Batista de Dallas no último domingo (19), onde foi convidado a entregar uma mensagem de Natal.

Em 10 minutos, Trump confessou que iria sair do script e comentar a situação da América. “Há muitas nuvens pairando sobre nosso país agora, nuvens escuras, mas voltaremos maiores, melhores e mais fortes do que nunca”, afirmou.

Ele mencionou de forma breve a segurança da fronteira com o México, a inflação, os preços do gás e a retirada dos EUA do Afeganistão, que ele considera o “dia mais constrangedor” da história do país.

Trump então citou a Bíblia e mencionou a influência do cristianismo nos EUA. “Um anjo do Senhor apareceu aos pastores humildes e proclamou o motivo da nossa alegria de Natal. Hoje, na cidade de Davi, nasceu o Salvador, que é Cristo, o Senhor”, disse ele, citando Lucas 2:11.

O ex-presidente acrescentou: “Nosso país precisa de um salvador agora, e nosso país tem um Salvador. E esse não sou eu — é alguém muito maior do que eu, muito maior. A vida, morte e ressurreição de Jesus Cristo mudaram o mundo para sempre. É impossível pensar na vida do nosso próprio país sem a influência de Seu exemplo e de Seus ensinamentos”.

Segundo Trump, nada na história dos EUA “poderia ter acontecido sem Jesus Cristo, Seus seguidores e Sua igreja”.


Donald Trump e o pastor Robert Jeffress. (Foto: First Baptist Dallas/Facebook)

“Temos que lembrar que Jesus Cristo é a fonte final da nossa força e da nossa esperança”, Trump concluiu.

No início do culto, Trump foi apresentado pelo pastor sênior da Primeira Igreja Batista de Dallas, Robert Jeffress, um dos conselheiros do ex-presidente durante seu tempo na Casa Branca.

“Eu acredito que o Trump é o presidente mais importante desde Abraham Lincoln”, disse o pastor. “Ele é um grande amigo dos cristãos de todo o mundo. Posso dizer isso sem qualquer discussão, ele é o presidente mais pró-vida, pró-liberdade religiosa e pró-Israel da história dos Estados Unidos da América.”

Categorias
Ciência

“Cometa de Natal” faz sua última aparição no sistema solar da Terra

O apóstolo Judas Tadeu pode ter descrito cometas quando mencionou as “estrelas errantes” no Novo Testamento.
FONTE: GUIAME
Imagem do cometa C/2021 A1 (Leonard) tirada no Observatório do Monte Lemmon. (Foto: Adam Block)
Imagem do cometa C/2021 A1 (Leonard) tirada no Observatório do Monte Lemmon. (Foto: Adam Block)

O cometa Leonard, também chamado de “cometa de Natal”, está fazendo uma última visita à órbita da Terra este mês, antes de deixar o Sistema Solar para sempre.

Batizado de C/2021 A1, o cometa foi descoberto em 3 de janeiro de 2021 pelo astrônomo Gregory J. Leonard, no Observatório do Monte Lemmon, no Arizona (EUA).

O cometa Leonard tem uma trajetória hiperbólica, ou seja, ele cruzará o Sistema Solar uma única vez e nunca mais voltará. Portanto, há apenas uma chance de vê-lo.

Uma característica específica do cometa Leonard é sua velocidade — cerca de 70 km por segundo. Devido a essa velocidade, a posição do cometa no céu muda a cada dia quando é observado da Terra.

O cometa ficou mais próximo da Terra e foi melhor em 12 de dezembro, especialmente no hemisfério norte. Na segunda metade de dezembro, o cometa se moverá para o hemisfério sul.

No dia de Natal, 25 de dezembro, o cometa Leonard poderá ser visível no Brasil e países da América do Sul onde houver céu claro. O uso de binóculos pode tornar mais fácil sua visualização.

O cometa Leonard tem uma órbita de 80 mil anos — isso significa que sua próxima passagem pela Terra seria daqui a 80 mil anos.

“Esta é a última vez que veremos o cometa”, disse Leonard. “Ele está acelerando em velocidade de escape, 70 quilômetros por segundo. Depois de seu estilingue ao redor do Sol, ele será ejetado de nosso Sistema Solar e pode tropeçar em outro sistema estelar daqui a milhões de anos.”

Cometa na Bíblia

O apóstolo Judas Tadeu pode ter descrito cometas quando mencionou as “estrelas errantes” no Novo Testamento, de acordo com o geólogo Steven Austin, pesquisador do Institute for Creation Research, um dos maiores grupos criacionistas dos EUA.

“Quando Judas se refere a falsos mestres, ele os compara, entre outras coisas, a ‘estrelas errantes, para as quais estão reservadas para sempre as mais densas trevas’ (Judas 1:13). Por ‘estrelas errantes’, Judas pode estar descrevendo o que conhecemos hoje como cometas”, explicou em um artigo.

Austin destaca ainda que “esta é provavelmente a única referência na Bíblia que poderia ser aplicada aos cometas”, e que a falta de menção aos cometas pode ser intencional.

“A analogia é evidente: assim como um falso mestre às vezes aparece como ‘um anjo de luz’ (2 Coríntios 11:14), um cometa próximo ao Sol tem uma cauda brilhante de gás emanando de sua cabeça gelada, que é iluminada pelo Sol. A proximidade de um cometa ao Sol é apenas temporária, pois o cometa logo parte para uma região remota do sistema solar onde a luz reduzida do sol não pode vaporizar sua massa gelada. Um cometa distante do sol é invisível até mesmo para o telescópio mais poderoso e pode ser descrito como algo que habita nas ‘mais densas trevas’”, explica.