Categorias
Artigos

Moisés é o personagem bíblico que mais influencia judeus

95% dos judeus têm uma Bíblia em casa

por Jarbas Aragão- GOSPELPRIME –

 

Moisés é o personagem bíblico que mais influencia judeus
Moisés é o personagem bíblico que mais influencia judeus

Uma pesquisa realizada entre judeus israelenses procurou medir sua afinidade com as Escrituras Sagradas. Ao todo, a pesquisa ouviu 501 pessoas de todas as partes do país.

Divulgada pelo jornal Jerusalém Post, indica que embora nem todos sejam religiosos, 95% dos judeus têm uma cópia do Tanach (Antigo Testamento da Bíblia) em casa. Um detalhe chama atenção: 6% dizem que não sabem onde ela fica guardada.

Questionados sobre o que a Bíblia significa para eles, 68% afirma que se trata do “Livro Sagrado”, 16% acredita ser o livro que formou a identidade judaica, 3,4% revelaram ser apenas o livro que ganharam após servir o exército e 3,8% diz que é um livro como qualquer outro na literatura judaica. Os demais 9% disseram que “é um antigo livro sem nenhuma relevância para minha vida hoje.”

Quarenta e dois por cento dos entrevistados disseram que estudar a Bíblia com frequência de pelo menos uma vez por semana. Trinta por cento disse que estuda muito raramente. Outros 13% disseram que só leem o livro dos Salmos quando passam por algum tipo de crise, enquanto 15% disseram que nunca leem a Bíblia.

Questionado se algum personagem bíblico influenciou sua vida, 78% dos entrevistados respondeu positivamente. Dentre eles, 19% disse que foi Moisés; 13% responderam rei Davi; Abraão recebeu 11% dos votos; Rei Salomão ficou com 8%; Raquel 5%; Sara 3%; Josué 3%; e Rute 1%.

Categorias
Artigos Noticias

Autora de Os Dez Mandamentos explica alterações na história bíblica: “É novela, não documentário”

Profile photo of Tiago ChagasPublicado por Tiago Chagas – gnoticiass.com.br- em 25 de março de 2015

Autora de Os Dez Mandamentos explica alterações na história bíblica: “É novela, não documentário”A autora da novela Os Dez Mandamentos, Vivian de Oliveira, explicou porque a história tem personagens e alguns ingredientes a mais do que o texto bíblico, e afirmou que tem o propósito de ser fiel à narrativa da Bíblia Sagrada.

A “novela bíblica” da TV Record demandou um alto investimento da emissora do bispo Edir Macedo, e tem a pretensão de repetir o desempenho das minisséries produzidas anteriormente, porém em escala muito maior.

A equipe de produção contratou dois historiadores e uma pesquisadora para auxiliar Vivian de Oliveira na montagem do texto e também aos responsáveis pela cenografia, para que a reprodução dos ambientes fossem fiéis ao Egito do período histórico retratado.

Em entrevista à Folha de S. Paulo, Vivian de Oliveira destacou que a novela será o mais fiel possível à Bíblia, mas observou que Os Dez Mandamentos se trata de um produtor de teledramaturgia, não um filme documentário.

“A novela é muito fiel à Bíblia. Claro, a gente teve o cuidado de ser fiel aos fatos históricos mas tivemos que mudar algumas coisas para dar sustentação à trama. Afinal de contas, é uma novela, não um documentário. A gente pode usar a licença poética e fazer algumas alterações em alguns casos senão não tem o suficiente para 150 capítulos, ou às vezes fica estranho na trama, aí a gente tem que mudar”, afirmou Vivian de Oliveira.

Por fim, Vivian de Oliveira diz ter ciência que, apesar do esforço, Os Dez Mandamentos não agradará a todos: “Acho que terão pessoas que dirão, ‘Ah, isso não aconteceu na história de Moisés, realmente’, mas isso sempre tem. Vai ter gente que vai adorar e pensar que ficou super fiel e vai ter gente que vai se ater aos detalhes e ver que colocamos e tiramos elementos da história verdadeira. É assim mesmo”.

Categorias
Noticias Vídeos

Comparado a Moisés, iraquiano compra meninas escravizadas pelo Estado Islâmico e as devolve aos pais

Profile photo of Tiago ChagasPublicado por Tiago Chagas -gnoticias.com.br – em 10 de março de 2015
Comparado a Moisés, iraquiano compra meninas escravizadas pelo Estado Islâmico e as devolve aos paisA iniciativa de um homem em comprar meninas sequestradas pelo Estado Islâmico para serem revendidas como escravas sexuais tem sido vista como um ato de heroísmo, pois ele as devolve às suas famílias.Ele se mantém anônimo, por questões de segurança, mas a reputação de herói tem sido propagada por veículos de mídia cristã por causa de sua iniciativa ousada.

O iraquiano acessa áreas controladas pelo Estado Islâmico, compra uma das meninas das minorias religiosas (cristãs, yazidis ou até mesmo muçulmanas de minorias étnicas), e depois de sair das áreas de domínio dos terroristas, faz contato com a família e as devolve.

O vídeo de um dos encontros promovidos por este iraquiano foi publicado no YouTube e tem repercutido fortemente nas redes sociais.

A informação sobre o gesto humanitário deste iraquiano misterioso foi divulgada pelo Shoebat, e comparou a atitude do homem com a missão que Moisés cumpriu ao libertar o povo hebreu da escravidão no Egito.

A quantidade de meninas compradas para serem libertas não foi informada, porém o site destaca que o gesto tem inspirado outros cristãos a se manterem firmes frente a perseguição do Estado Islâmico.

O grupo terrorista usa o mercado sexual como uma das formas de financiamento de suas ações, e também para oferecer regalias a seus militantes, que muitas vezes estupram as meninas sequestradas.

Enquanto isso, a propaganda do Estado Islâmico continua aliciando jovens na Europa, e muitas meninas se voluntariam para serem esposas dos terroristas acreditando que serão tratadas com luxo e riqueza, além dos rapazes, que se oferecem para estar na linha de frente do combate contra cristãos e outras minorias religiosas do Oriente Médio.