Categorias
Noticias

Mãos como cartões de crédito? Amazon trabalhando no sistema em que os clientes passam a mão para pagar

Uma parcela é movida na correia transportadora no centro de logística da Amazon em Graben, perto de Augsburg, em 16 de dezembro de 2013. | REUTERS / Michaela Rehle

A Amazon está trabalhando em um sistema que vincularia as informações do cartão de crédito dos clientes a um “sistema de identificação biométrica sem contato” que digitalizará digitalmente a mão de um cliente.

Embora os planos estejam nos estágios iniciais, a gigante da tecnologia iniciou esforços de colaboração com empresas como a Visa para testar os terminais de scanner manual para uso em suas lojas físicas. Os grupos financeiros JPMorgan Chase, Wells Fargo e Synchrony Financial também estão discutindo com a Amazon sobre a participação, de acordo com a CNBC .

Os terminais de digitalização manual produzem uma foto da palma de uma pessoa que será conectada ao cartão de crédito da pessoa.

“Os dados que passariam pelos terminais, incluindo onde os consumidores compraram e quando, seriam armazenados na nuvem da Amazon … [a] empresa gostaria de integrar esses dados aos gastos dos consumidores na Amazon.com”, fontes familiarizadas com o projeto disse ao  Wall Street Journal .

“Isso poderia dar à Amazon mais alavancagem para cobrar preços mais altos aos anunciantes com base na ideia de que eles podem prever melhor o que os clientes provavelmente comprarão”, relatou o WSJ, observando que os emissores de cartões também estão “perguntando como os consumidores poderiam adicionar mais de um em suas mãos e como eles poderiam escolher entre esses cartões quando pagarem “.

A mudança está sendo vista como mais um desenvolvimento na maneira como os consumidores adquirem bens e serviços, mudando a maneira como as pessoas interagem com o comércio e em seus negócios diários enquanto trabalham.

Nos últimos anos , surgiram relatórios em lugares como a Suécia, onde um número notável de pessoas teve microchips do tamanho de grãos de arroz implantados em suas mãos, tecnologia “projetada para acelerar as rotinas diárias dos usuários e tornar sua vida mais conveniente – acessando suas casas, escritórios e academias … tão fáceis quanto passar as mãos contra os leitores digitais “, de acordo com a NPR.

Uma empresa de software de Wisconsin obteve intensa cobertura da mídia em 2017 quando microchipou seus funcionários, inserindo um pequeno chip entre o polegar e o indicador, permitindo que os funcionários acenassem com a mão na frente dos sensores para abrir as portas do escritório, comprar comida na lanchonete e desbloquear o chip. laptops. A medida foi chamada de “distópica” por muitos em meio a preocupações crescentes de privacidade e segurança.

Embora as interpretações variem entre os cristãos, essas notícias centradas em transações financeiras e tecnológicas integradas ao corpo humano geralmente geram conversas sobre o fim dos tempos e se essas inovações podem ser a marca da besta mencionada em Apocalipse 13: 16-17.

“[A besta] também obrigou todas as pessoas, grandes e pequenas, ricas e pobres, livres e escravas, a receber uma marca na mão direita ou na testa, para que não pudessem comprar ou vender a menos que tivessem a marca. o nome da besta ou o número de seu nome “, diz a passagem na Nova Versão Internacional.

Em um artigo de opinião do The Christian Post em agosto de 2017 , Ryan Ries, co-fundador do The Whosoevers Movement, observou que muitos sabem sobre a marca infame mencionada nas Escrituras “, mas a ignoram como ficção ou ficam insensíveis porque ouvimos isso ensinado com tanta frequência. Sabemos que existe em algum lugar, mas há um jogo de futebol para assistir ou um taco para comer ou mídias sociais para desperdiçar nossas vidas “.

“E se essa marca for real? E se for o sinal que o Anticristo exige para todas as pessoas que desejam vender ou comprar?” ele perguntou, enfatizando que acredita que, com o microchip dos seres humanos e a impiedade feroz, o cenário proverbial foi estabelecido quando as gerações mais jovens foram culturalmente preparadas para abraçar a marca, exigindo assim que as igrejas reconsiderassem como elas abordam o ministério.

Categorias
Noticias

Implantes de chips para pagamentos se popularizam na República Tcheca

Organização afirma que é uma “tendência” de mercado

 

 

Implantes de chips para pagamentos se popularizam na República TchecaImplantes de chips se popularizam na República Tcheca
Ao longo de 2016, algumas dezenas de voluntários da República Tcheca estão testando um novo método de pagamento, aponta como o sucessor dos cartões de crédito. Trata-se de um chip eletrônico que possibilita fazer pagamentos sem a necessidade de senhas.
O dispositivo mede aproximadamente 12×2 mm, do tamanho de um grão de arroz. Ele é implantado na mão esquerda, entre o polegar e o indicador.

Segundo a organização tcheca Paralelni Polis, que conduz os experimentos, a maioria dos usuários aprovou a nova tecnologia. Eles acreditam que isso deverá se tornar “tendência de mercado” a partir dos próximos anos. Entre as vantagens citadas está a segurança que evitaria roubos e fraudes com cartões.

O chip usa o sistema NFC, já disponível no Brasil em alguns celulares. Além de funcionar para transações comerciais eletrônicas, pode desbloquear portas ou o smartphone, conforme divulgou a mídia tcheca.

Jan Hubik, da Paralelni Polis, garante que o implante é um processo muito fácil. “A pessoa que decidir comprar o chip recebe pelo correio um pacote esterilizado com uma seringa médica. Lá dentro está o chip. A única coisa que deve ser feita é desinfetar a mão, abrir o pacote em um ambiente esterilizado e usar a seringa para injetar o chip na mão esquerda.”

Por enquanto os pagamentos só podem ser feitos em Bitcoins, mas Hubik garante que existe um interesse crescente pelo chip no país, especialmente entre os mais jovens.

Sistemas diferentes, objetivos iguais

O sistema usado na República Tcheca é semelhante ao que está sendo testado na Austrália. Embora as tecnologias sejam diferentes, essas crescentes comunidades de “biohackers”, defendem a ideia que podem usar tecnologia para facilitar suas rotinas.

Recentemente, uma empresa da Suécia ofereceu aos funcionários a opção de trocar seus crachás por chips que abririam portas e marcariam o “ponto”. Mais de 400 aceitaram a proposta. Com informações do Gospel Prime.

Categorias
Ciência Noticias

Microchips serão implantados em crianças

Para especialista, tecnologia é segura e inevitável

por Jarbas Aragão – gospelprime

 Microchips serão implantados em criança

Em 2007, a rede de TV norte-americana NBC, uma das maiores do mundo, exibiu um especial tentando mostrar como dentro de uma década as pessoas estariam sendo identificadas por um microchip implantado em seu corpo.

Esta semana, a mesma emissora exibiu uma reportagem mostrando como isso de fato está prestes a se tornar realidade nos Estados Unidos. O mesmo tipo de chip com tecnologia RFID, que serve para identificar animais de estimação e localizá-los por GPS, agora pode ser colocado em crianças. A tecnologia usada nos animais já é relativamente comum, inclusive no Brasil.

Segundo o telejornal NBC News, que foi ar esta semana, o uso de microchips em crianças ocorrerá “em breve”, assim que o público aceite o processo como “algo tão normal quanto o código de barras”.

A reportagem ouviu mães como Steffany Rodroguez-Neely, que acreditam que a tecnologia traria um sentimento de segurança.

“O pesadelo de todos os pais é quando não conseguem encontrar o seu filho. O chip será uma proteção a mais, caso algo de ruim aconteça”, afirmou ela. “Se um chip do tamanho de um grão de arroz puder evitar uma tragédia, acho que a maioria dos pais aceitaria fazer isso”, finaliza.

Obviamente, a ideia tem opositores. Kerri Levey, que lidera um grupo de mães na região de Tampa, Flórida, afirma que é preciso ter cautela. “Você está colocando um chip em seu filho. Onde isso vai parar?”, questiona. “Onde? Ele está indo longe demais. É de uma criança que estamos falando”.

Ouvido pela NBC, o especialista em eletrônica Stuart Lipoff afirma que o microchip em crianças é algo “seguro e se tornará inevitável”.

“As pessoas devem estar cientes de que os testes finais estão sendo feito agora. Os militares não só testaram, mas já se beneficiam de suas propriedades. Não é uma questão de se, mas sim de quando vai acontecer”, assevera.

Para Lipoff, as pessoas não devem se preocupar com a possibilidade do governo rastrear seus filhos, pois é mais uma tecnologia.

“Quando o código de barras surgiu, na década de 1960, as pessoas ficaram horrorizadas. Eles criticavam e não entendiam o conceito. Hoje, é algo tão comum, que nem sequer lembramos deles. Com o microchip será da mesma maneira “, sublinhou.

26% dos profissionais desejam usar a tecnologia

De acordo com a pesquisa “Working from Mars with an Internet Brain Implant” realizada pela empresa de tecnologia Cisco Systems, 24% dos profissionais entre 18 e 50 anos seriam voluntários para receber um implante cerebral que lhes permitisse unir instantaneamente seus pensamentos com à Internet.

Entre outras conclusões, o relatório revela que até 2020, a maioria dos profissionais acredita que os smartphones e os “wearables” (computadores vestíveis) serão os dispositivos mais importantes na força de trabalho. Com informações de Charisma InfoWars

medrado. perfil

Rev. Ângelo Medrado, Bacharel em Teologia, Doutor em Novo Testamento, referendado pela International Ministry Of Restoration-USA e Multiuniversidade Cristocêntrica é presidente do site Primeira Igreja Virtual do Brasil e da Igreja Batista da Restauração de Vidas em Brasília DF., ex-maçon, autor de diversos livros entre eles: Maçonaria e Cristianismo, O cristão e a Maçonaria, A Religião do antiCristo, Vendas alto nível, com análise transacional e Comportamento Gerencial.