China proíbe escola dominical para menores

Lei proíbe evangelismo de menores e dificulta ensinamento da próxima geração.

Crianças chinesas na escola. (Foto: Philippe Lopez / Getty)

Uma lei chinesa que impede a evangelização de pessoas com menos de 18 anos tem sido usada para impedir que as igrejas façam turmas de escola dominical com crianças, segundo denúncia de Erik Burklin, da China Partner.

Segundo ele, “uma das regras que sempre estão na lei deles é que você não pode fazer proselitismo ou não pode converter alguém com menos de 18 anos de idade”.

Ele explicou ao Mission Network que antes da aplicação da lei, “as pessoas estavam criando seus filhos na igreja e muitas igrejas começaram o que chamaríamos de aulas da escola dominical”, diz Burklin.

“Eles usavam esse tempo para ensinar versículos bíblicos às crianças e ensinar-lhes canções cristãs e assim por diante.”

Mas agora, muitas igrejas foram notificadas pelos chefes do Departamento de Assuntos Religiosos exigindo que as aulas de escola dominical sejam fechadas.

“Eles até colocam sinalização na entrada de algumas igrejas para indicar isso”, diz Burklin.

Muitos pastores que antes convidavam as equipes da China Partner para ensinar como conduzir aulas para jovens entre 13 e 18 anos agora reclamam dessa lei que tem os impedido de colocar em ação vários planos de evangelismo.

Para respeitar e proteger seus parceiros locais, o China Partner decidiu descontinuar sua iniciativa YouthServe. Burklin diz que pode voltar no futuro, mas, por enquanto, é do melhor interesse de seus parceiros se eles o fecharem.

A decisão das autoridades chinesas é preocupante para a China Partner, pois os jovens são a próxima geração de potenciais líderes cristãos e, com a proibição, eles não serão alcançados e nem preparados para darem continuidade ao ministério naquele país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.