Católicos e ortodoxos se juntam ao Papa Francisco: eles tentam entregar Jerusalém aos palestinos

O Departamento de Relações Exteriores da Igreja, do Patriarcado de Moscou, enfatizou que Jerusalém deve continuar sendo “o centro espiritual” das três religiões monoteístas. O metropolita Hilarion de Volokolamsk afirmou sua oposição ao reconhecimento da cidade como a capital de Israel.

“Você não pode esquecer que Jerusalém é a cidade santa para as três religiões do mundo: judaísmo, cristianismo e islamismo.

Cristianismo, muçulmanos e judeus vivem juntos em paz em Jerusalém. Onde cada grupo tem seus lugares, mobilidade e lugares sagrados, é vital que Jerusalém continue a ser o centro espiritual e religioso “.

O anúncio de Donald Trump, o presidente da EE. UU foi criticado pelo líder religioso em reconhecer Jerusalém como a capital de Israel, pois isso poderia “desestabilizar significativamente” a situação na região.

O governo russo do mês de abril anunciou o reconhecimento de Jerusalém Ocidental como a capital de Israel. Putin, ao mesmo tempo, elogiou seus aliados islâmicos em reconhecer Jerusalém Oriental como a capital de um futuro estado da Palestina.

Quanto à posição dos ortodoxos, isso inclui mais peso religioso contra Israel. O Papa Francisco recentemente destacou claramente a oposição do Vaticano para mudar o estado da cidade. O Conselho Mundial de Igrejas, que reúne segmentos pentecostais, protestantes e ortodoxos de dezenas de denominações, não concorda com a decisão americana. O mais curioso é que todos os segmentos cristãos sabem da perseguição promovida pelos islamitas contra os “infiéis”, mas seu discurso os coloca ao lado dos palestinos.

Uma delegação de líderes da igreja de Jerusalém neste fim de semana teve uma reunião com o rei jordaniano Abdullah II, considerado pelo Islã como o “guardião” dos lugares sagrados. Os padres e bispos, juntamente com o monarca, eliminaram as “tentativas de judaizar” a capital de Israel. 
Esta afirmação é muito rara, uma vez que não alterou a política de liberdade religiosa do país.

Os participantes da reunião estavam com Pierbista Pizaballa o bispo do Patriarcado Católico de Jerusalém e Kyrios Theophilos III, que é o patriarca ortodoxo grego na Terra Santa, que se aliam aos líderes islâmicos que controlam o Monte do Templo, “aviso de que rejeitam Decisão dos EUA Jeruslaen a reconhecer como a capital de Israel “” garantindo que a decisão é ilegal, prejudica a paz e vai contra os ensinamentos cristãos “.

Fonte: Christian News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.