Categorias
Noticias

Papa Bento XVI chama cristãos e muçulmanos para discutir em Chipre

DIÁLOGO

 

     O papa Bento XVI fez, este sábado, em Nicósia, um chamado ao diálogo entre as religiões cristã e muçulmana no segundo dia de sua visita a Chipre, ilha do Mediterrâneo dividida há 36 anos entre comunidades ortodoxas ao sul e muçulmanas ao norte.
     Enquanto escândalos de pedofilia envolvendo o clero abalam a Igreja Católica e revelações de abusos cometidos por clérigos contra menores se multiplicam no mundo, o Papa também destacou a necessidade de que haja "sacerdotes bons e santos".
     "A Igreja adquiriu uma consciência renovada da necessidade de sacerdotes bons, santos e bem formados", disse Bento XVI ao se reunir com a pequena comunidade católica da ilha em uma escola maronita da capital cipriota.
     Em 27 de maio, Bento XVI já tinha condenado estes casos de pedofilia, estimando que são "motivo de escândalo" que devem levar a "aprender de novo a penitência" e "aprender por uma parte o perdão e por outra, a necessidade de Justiça".
     Mas na ilha, dividida desde 1974 entre comunidades turco-cipriota ao norte e greco-cipriota ao sul, o Papa também insistiu na importância do diálogo entre as religiões, estimando que "ainda resta muito a fazer no mundo".
     "Só com um trabalho paciente é possível construir a confiança mútua, é possível superar o peso da história passada e as diferenças políticas e culturais entre os povos podem se tornar razão para trabalhar em uma compreensão mais profunda", disse o Sumo Pontífice, durante encontro na escola Santo Maron de Anthupolis, bairro de Nicósia.
     "Animo-os a favorecer a criação de tal confiança mútua entre cristãos e não-cristãos, como base para fundar uma paz duradoura", acrescentou.
     Duas mil pessoas, sobretudo cipriotas de confissão maronita, estavam reunidas no pátio do colégio.
     A visita do Papa provocou críticas por parte de alguns responsáveis da comunidade ortodoxa, que pediram o boicote das cerimônias oficiais. Foram chamados à ordem pelo líder da Igreja Ortodoxa cipriota, arcebispo Chrysostomos II.
     Na sexta-feira, no avião que o levou ao Chipre, Bento XVI já havia afirmando que "é preciso ser capaz de dialogar com nossos irmãos muçulmanos e prosseguir este diálogo para uma coexistência ainda mais frutífera".
     O Papa chamou os católicos ao diálogo ecumênico, destacando que "a busca de uma unidade maior na caridade com os outros cristãos" é uma "parte essencial" da missão de sua Igreja.
     Na tarde deste sábado, Bento XVI reuniu-se brevemente, em Nicósia, com o xeque muçulmano turco-cipriota Nazim Haqani, apesar de o encontro não estar previsto no programa de sua visita ao Chipre, afirmou o porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi.
     O líder espiritual sufita de 88 anos, originário de Larnaca (sul) e residente na República Turca do Norte do Chipre (só reconhecida por Ancara), esperou sentado em uma cadeira pelo Papa quando ele se dirigia à igreja franciscana de Santa Cruz, na zona de separação entre as duas comunidades cipriotas, grega e turca, para celebrar a missa.
     O Sumo Pontífice deteve a procissão para saudá-lo.
     "Desculpe-me, mas sou velho", disse o religioso. "Eu também sou velho", respondeu o Papa. O xeque Nazim disse que tinha ouvido falar da visita do Papa e que queria falar com ele, como havia feito antes com João Paulo II por ocasião de uma cerimônia interreligiosa, informou o padre Lombardi à imprensa.
     O xeque ofereceu ao Papa um bastão com palavras de paz gravadas em árabe e um rosário muçulmano, pedindo-lhe um abraço, que recebeu.
     Durante a missa para sacerdotes e religiosos, Bento XVI pediu aos sacerdotes que servem no Oriente Médio, "ali onde os cristãos são uma minoria" e "sofrem dificuldades por causa das tensões étnicas e religiosas" que não cedam à "tentação" de partir.
     "Uma paróquia que permanece firme é um sinal extraordinário de esperança para todos aqueles que vivem na região", acrescentou.
     O Sumo Pontífice foi convidado à ilha pelo presidente Demetris Christofias e pelo arcebispo, Chrysostomos II, que o recebeu no arcebispado no meio do dia.
     O objetivo oficial da viagem é a entrega, no domingo, por Bento XVI ao Conselho Pré-sinodal do documento de trabalho para o sínodo sobre o Oriente Médio, previsto para outubro no Vaticano.
     Segundo o Papa, este sínodo "refletirá sobre o papel vital dos cristãos nesta região (…) e contribuirá para promover uma cooperação maior entre os cristãos da região.

Fonte: AFP

Categorias
Artigos

Luiz Mott: Pedofilia já! Enquanto ainda estou com tudo em cima…

Texto de Jael Savelli

“Se Deus não existe, então tudo é permitido”. Dostoievski

“Tudo é permitido a quem age a favor da revolução”. Collot d’Herbois

“Ai dos que ao mal chamam bem e ao bem, mal; que fazem das trevas luz e da luz, trevas; põem o amargo por doce e o doce, por amargo!” Isaias 5:20

“Não vos enganeis, de Deus não se zomba, pois tudo o que o homem semear, isto também ceifará”. (Gálatas 6:7).

Luiz Mott, 61 anos, é decano do Movimento Homossexual no Brasil; fundador do Grupo Gay da Bahia; autor de um artigo em que afirma que Jesus era um sodomita ativo e o evangelista São João, seu amante favorito.

http://www.gaybrasil.com.br/mott.asp?Categoria=Artigos&Codigo=256

Professor Titular do Departamento de Antropologia da UFBa; membro da Comissão Nacional de Aids do Ministério da Saúde – CNAIDS e do Conselho Nacional de Combate à Discriminação do Ministério da Justiça, agraciado com o grau de Comendador da Ordem do Rio Branco pelo presidente FHC.

http://diversidadetucana.zip.net

Luiz Mott é o mentor e principal articulador do Projeto de Lei 122/2006, a chamada Lei Anti-Homofobia, aguardando aprovação pelo Senado Federal, e de inúmeras leis semelhantes que estão sendo votadas e aprovadas nos estados e municípios da União: “Já há quase 80 municípios que proíbem a discriminação contra os homossexuais. Em São Paulo, além da capital, Cabreúva e São Bernardo do Campo. Lutamos para que seja incluída na Constituição Federal a proibição de discriminar por ‘orientação sexual’, como acontece na Constituição da África do Sul”.

http://br.geocities.com/luizmottbr/entrev13.html

Pesquisando no Google sobre a vida e a obra de tão ilustre cidadão, deparei com um site de pedófilos brasileiros onde há uma indicação com louvores para a leitura da crônica “Meu Moleque Ideal”, de autoria do Professor Luiz Mott.

Meu Moleque Ideal

Elogios de pedófilos ao artigo

Pedofilia & Pederastia – O sexo entre Adultos & Jovens

Descobri que os pedófilos identificam a si mesmos como homens que amam meninos”. A repulsa que experimentamos diante da idéia de crianças serem atraídas, enganadas e usadas sexualmente por adultos, eles chamam depreciativamente de “pânico moral” ou de “histeria da opinião pública”. O Doutor Luiz Mott provê adiante uma amostra exemplar do que exatamente estes “amantes de ‘moleques’” estão falando ao se referirem a “amor”.

Enfim, Luiz Mott em suas próprias palavras:

“Meu nome é Luiz Roberto de Barros Mott. Nasci em 6 de maio de 1946”.

http://br.geocities.com/luizmottbr/autobio.html

“Eu fui casado cinco anos, tenho duas filhas e sou bichona”.

www.terra.com.br/istoegente/43/reportagens/rep_gays.htm

“No seminário, tanto quanto no noviciado, fui um adolescente marcado pela espiritualidade… Realmente vivia o dia todo pensando em Deus…”

“Ainda tinha um pouco de preocupação cristã na faculdade, mas… Com a leitura de A Ideologia Alemã… e depois estudando antropologia, me dei conta que as minhas verdades absolutas, em termos de cristianismo, eram relativas…”

“Como sentia atração homoerótica… fui vendo como o cristianismo era intolerante, repressor e equivocado em relação a isso. Neste sentido, o materialismo histórico poderia… resolver as minhas angústias existenciais”.

“Com o tempo deixei de acreditar em Deus”.

“Portanto, deixei de ter qualquer tipo de consciência pesada, no que refere a essa forma de relação”.

“Casualmente, encontrei um rapaz numa dessas aventuras noturnas… Na época, eu devia ter uns trinta anos e ele uns dezoito ou dezenove. Este foi um grande encontro!”

“Queria estar apenas com ele, realmente mudar de vida e assumir-me exclusivamente homossexual. Isso após cinco anos de um casamento tranqüilo. Foi um processo extremamente traumático”.

“Na época, minha mulher estava fazendo o mestrado… Ela reagiu negativamente… Isso causou um trauma familiar enorme”.

“Minha ex-mulher mudou para sua cidade natal… Fiquei em Campinas, morando com ele… numa outra casa que comprei. Após um ano de felicidades, notamos que éramos muito diferentes e resolvemos nos separar”.

“Campinas se tornou muito pequena para mim… muito familista. Há muito tempo possuía uma fantasia de viver no nordeste… na Bahia. Era o lugar do Brasil onde me sentia mais desejado sexualmente. Ao mesmo tempo, onde encontrava os parceiros que mais preenchiam minhas fantasias sexuais… sempre gostei de negros”.

“Hoje, após 30 anos de separação, não me arrependo um só minuto desta decisão. Para mim, a homossexualidade foi uma graça!”

“Nos últimos 36 anos de prática homoerótica, calculei que devo ter transado mais ou menos com uns 500 homens diferentes”.

Observação especial do Pr. Ângelo Medrado, presidente deste site:

“Deixo de publicar o restante da matéria por ser totalmente obsceno, sujo, imoral, decadente, impróprio, satânico, perverso e demais sinônimos etc…”

Os maiores de idade desejosos de ver o restante da matéria entrem no site do meu amigo Julio Severo, grande defensor da família e contrário a Lei da homofobia..

Fonte: Julio Severo.

http://juliosevero.blogspot.com/2007/08/luiz-mott-pedofilia-j.html

medrado. perfil

Rev. Ângelo Medrado, Bacharel em Teologia, Doutor em Novo Testamento, referendado pela International Ministry Of Restoration-USA e Multiuniversidade Cristocêntrica é presidente do site Primeira Igreja Virtual do Brasil e da Igreja Batista da Restauração de Vidas em Brasília DF., ex-maçon, autor de diversos livros entre eles: Maçonaria e Cristianismo, O cristão e a Maçonaria, A Religião do antiCristo, Vendas alto nível, com análise transacional e Comportamento Gerencial.