Categorias
Cultos

Igreja está “ferida por seu pecado”, diz Papa Francisco

Papa Francisco preocupado
Papa Francisco preocupado

O papa admitiu, neste sábado (26), que a Igreja católica está “ferida por seu pecado”, em uma mensagem à comunidade religiosa reunida no Panamá, antes de uma crucial reunião de bispos convocada por Francisco para tratar dos escândalos por abusos sexuais e seu acobertamento.

No penúltimo dos cinco dias da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), o líder do Vaticano celebrou uma missa na catedral Santa María La Antigua, na qual alertou para um “cansaço da esperança”

Esse cansaço “nasce ao constatar uma Igreja ferida por seu pecado e que tantas vezes não soube escutar tantos gritos”, declarou o pontífice argentino, de 82 anos.

Francisco fez este chamado quando o Vaticano se prepara para receber uma reunião de bispos que tratará do tema dos abusos sexuais, que abalou a credibilidade da instituição milenar.

O porta-voz da Santa Sede, Alessandro Gisotti, expressou nesta sexta que o papa espera sair deste encontro – que ocorrerá de 21 a 24 de fevereiro no Vaticano – com “medidas concretas” para combater este flagelo.

“Será uma ocasião sem precedentes para enfrentar (…) o problema e encontrar realmente medidas concretas para que quando os bispos voltem de Roma para suas dioceses, possam enfrentar esta praga, esta praga terrível”, declarou o diretor interino do gabinete de imprensa da Santa Sede, Alessandro Gisotti.

Após a missa, a agenda do papa continua com uma visita ao Seminário Mayor de San José, uma oportunidade para falar sobre a crise de vocação do sacerdócio.

Durante a cerimônia eclesiástica, Francisco também se referiu a um “cansaço paralizante” que levou a Igreja católica – religião com maior número de fiéis na América Latina – a não saber “como reagir diante da intensidade e da perplexidade das mudanças que estamos atravessando como sociedade”.

A situação colocou “em dúvida, em muitos casos, a própria viabilidade da vida religiosa no mundo de hoje”, reconheceu o pontífice.

De acordo com o Vaticano, havia 414.969 padres católicos no mundo no fim de 2016, segundo dados do Vaticano, enquanto em 2015 eram 415.656, e em 2014, 415.792.

A tendência é parecida entre os seminaristas, com 116.160 em 2016, frente a 116.843 de 2015.

Fonte: Isto É
Categorias
Estudos

Seu passado pode sim te condenar

“O avisado vê o mal e esconde-se; mas os simples passam e sofrem a pena.” Pv 27:12

por Felipe Machado

Seu passado pode sim te condenarSeu passado pode sim te condenar
Nós, que nos denominamos cristãos, não devemos nos pautar em ‘experiências’ para concluirmos que o pecado é ruim e depois escolhermos não pecar. Como cristãos genuínos devemos confiar nas Escrituras mesmo que não tenhamos motivos claros e recompensas imediatas para adotar um comportamento de santidade.

A maioria das vezes não percebemos de antemão as consequências dos nossos atos e essa demora entre causa e efeito nos inclina a fazer o mal, que tem o atrativo do prazer imediato. Entretanto, não devemos esquecer que o pecado só traz morte e que tudo aquilo que o Senhor nos ensina que é errado acaba trazendo consequências ruins para nossas vidas, mesmo que na vida cotidiana vejamos pessoas pecando e momentaneamente ‘se dando bem’.

Mas a vida real é uma velha senhora imperiosa e cruel e as leis que a regem foram escritas pelo mesmo autor que nos indica o que é certo e bom e o que é errado e mau. Mais cedo ou mais tarde a realidade tende para os resultados esperados pois não pode escapar das leis divinas. Quando isso acontece temos a oportunidade de sermos sábios e aprender com os exemplos.

“O avisado vê o mal e esconde-se; mas os simples passam e sofrem a pena.” Pv 27:12

Um artigo chamado “The harmful effects of early sexual activity and multiple sexual partners among women: a book of charts”, traz a análise de uma pesquisa respondida por 10.000 mulheres entre 15 e 44 anos. Esta pesquisa revela dados que correlacionam o número de parceiros sexuais além do marido (para o caso das mulheres que são ou já foram casadas) com fatores como: DST, aborto, estabilidade matrimonial, depressão, etc.

A discrepância nos resultados entre as mulheres que só tiveram o marido como parceiro sexual e as outras é notória. Se compararmos as mulheres que só tiveram o marido como parceiro com as mulheres que tiveram cinco outros diferentes parceiros durante a vida (que é um número bem conservador no Brasil) notamos que mulheres que tiveram cinco outros parceiros durante a vida têm3.5 vezes mais chance de contraírem DSTs, 7.5 vezes mais chance de se tornarem mães solteiras,60% a mais de chance de serem depressivas, 43% a mais de chance de serem infelizes, etc.

Mesmo se compararmos as mulheres que só tiveram o marido como parceiro com aquelas que cometeram ‘um pequeno deslize’ tendo durante a vida apenas um parceiro além do marido ainda assim há diferença,  enquanto a mulher que só teve o marido como parceiro tem 80,47% de probabilidade de um casamento estável, para a mulher que teve outro parceiro esse número cai para 53,63%, ou seja, com apenas um deslize a pessoa mais que dobra a chance de divórcio.

E como um casamento falido, infelicidade e depressão andam de mãos dadas, a chance da mulher que já teve um parceiro além do marido ser infeliz e/ou depressiva é, respectivamente, 22% e 62% maior do que aquela que só teve o marido como parceiro.

quandro

Vale lembrar que não necessariamente uma mulher que teve uma vida mais devassa vai se divorciar, ser infeliz e mal amada  e nem que a mulher que teve uma vida mais santa vai ser a mamãe da feliz família de propaganda de margarina. Entretanto quanto mais a gente peca mais a chance de tudo dar errado cresce, porque todo pecado tem consequência e mesmo nossos pecados tendo sido perdoados vamos ter que lidar com elas.

Então devemos ter em mente que cada pecado que cometemos, por mais que na hora não pareça ter consequência séria, vai ter algum peso em nossas vidas. Não adianta recitar o mantra gospel de que depois de perdoado o pecado caiu no ‘mar do esquecimento’ e vai tudo ser como se nada tivesse acontecido. O perdão nos livra da condenação eterna, mas as consequências temporais uma hora ou outra cobram a conta.

Categorias
Estudos

Billy Graham revela “o grande mal do mundo”

Evangelista lembra o que a Bíblia diz sobre o assunto

 

 

billy-graham-1 Billy Graham revela “o grande mal do mundo”
O maior problema que o mundo enfrenta hoje não é o Estado Islâmico, nem o aborto e tampouco a agenda gay. Para Billy Graham, a raiz por trás de todos é a mesma: o coração humano.
Em um texto publicado no seu site pessoal, o renomado evangelista respondeu à pergunta de um leitor que desejava saber a opinião de Graham sobre “qual a maior ameaça do mundo na atualidade”.

“Nós discutimos sobre isso em nossa classe bíblica na igreja, mas não conseguimos chegar a uma conclusão”, disse o internauta.

Fiel ao estilo que marcou sua trajetória, Billy Graham, 93 anos, citou vários textos bíblicos para afirmar: “O maior problema que o mundo enfrenta hoje é o mesmo que sempre foi: o coração humano. A Bíblia diz sem rodeios: “Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá? (Jeremias 17: 9)”.

O evangelista fez então uma proposta: “Pense por um minuto como seria caso pudéssemos nos livrar de nosso orgulho e egoísmo. Teríamos um mundo perfeito. Poderíamos viver em harmonia uns com os outros, e não haveria mais conflitos ou guerras. O ódio e a inveja iriam acabar. Viveríamos motivados por amor, compaixão e respeito mútuo”.

Assegurou que, como isso não acontece fica claro que ainda estamos longe de viver “o mundo perfeito que a Bíblia promete: ‘uma nação não levantará espada contra outra nação, nem aprenderão mais a guerrear (Isaías 2:4)’”.

Famoso por usar o bordão “a Bíblia diz” em suas cruzadas, Billy diz que as advertências todas estão nas Escrituras. “Terrorismo, violência, crime, drogas, corrupção, relações quebradas, a lista é quase infinita”, asseverou. Emendou falando sobre o coração, numa citação de Tiago 4: 1: “De onde vêm as guerras e contendas que há entre vocês? Não vêm das paixões que guerreiam dentro de vocês?”.

Do alto de sua experiência de décadas no ministério, faz uma exortação em tom pastoral, lembrando que “Nossa maior necessidade hoje é o que sempre foi: se voltar para Deus para o perdão e uma nova vida que precisamos”. Finalizou dizendo que isso só é possível porque Jesus Cristo deu a Sua vida por nós”. Ele entende que a ideia de paz plena no planeta Terra é ilusória, mas a promessa de Jesus é verdadeira para os seus: “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou” (João 14:27).