Categorias
Noticias

Globo admite ter ocultado crimes de transexual pedófilo: “não era o objetivo da reportagem”

Fantástico mostrou pedófilo que estuprou e matou menino de 9 anos como vítima.

Isaías 5: 20 Ai dos que ao mal chamam bem e ao bem chamam mal; que fazem das trevas luz e da luz fazem trevas; que mudam o amargo em doce e o doce mudam em amargo!

21 Ai dos que são sábios aos seus próprios olhos e inteligentes em seu próprio conceito!

22 Ai dos que são heróis para beber vinho e valentes para misturar bebida forte;

23 que por suborno justificam o ímpio, mas ao justo negam justiça!

Drauzio Varella abraça Suzy de Oliveira. (Foto: Reprodução / Rede Globo)

O Fantástico se pronunciou neste domingo (9) sobre os crimes cometidos pelo transexual Suzy Oliveira, (Rafael Tadeu de Oliveira do Santos) que foi apresentado em edição anterior como “vítima” por viver em completo isolamento na penitenciária onde cumpre pena por ter estuprado e matado uma criança de 9 anos.

A emissora carioca tentou dar um tom romantizado a história de crimes do pedófilo assassino, usando como pano de fundo sua condição ao cumprir pena em uma penitenciária masculina. Após a repercussão negativa, os apresentadores Tadeu Schmidt e Poliana Abritta tentaram justificar o caso.

Depois de lerem nota compartilhada pelo médico Drauzio Varella, o apresentador Tadeu Schmidt admitiu que a Globo ocultou os crimes cometidos pelo transexual, afirmando que “os crimes das entrevistas não foram mencionados porque esse não era o objetivo”

O Fantástico ignorou o fato de Rafael Tadeu de Oliveira do Santos, que atende vulgarmente por Suzy, na cadeia desde 2010, “praticou atos libidinosos consistentes em sexo oral e sexo anal com o menor Fábio dos Santos Lemos, que à época contava com apenas 09 anos de idade”, segundo processos 2014.00000636471 e 2017.0000531529, ambos julgados pela justiça paulista.

O pedófilo e estuprador “matou o ofendido mediante meio cruel, consistente em asfixia, e se valendo de recurso que impossibilitou a defesa da vítima, haja vista tratar-se de criança, com mínima capacidade de resistência”, segundo a sentença.

Com informações do GospelPrime

Categorias
Cultos

TV Globo censura fala de ex-atleta contra transexuais no esporte

Ex-jogadora Ana Paula Henkel
Ex-jogadora Ana Paula Henkel

A ex-atleta de vôlei, Ana Paula Henkel, afirmou neste domingo (27), que a TV Globo censurou a entrevista concedida por ela para uma reportagem sobre transexuais no esporte que foi exibida no Esporte Espetacular.

Ana Paula, que é defensora do direito de mulheres biológicas competirem apenas com mulheres biológicas, fez uma publicação no Twitter, em que ela afirmou que na entrevista apresentou dados que embasariam os argumentos em defesa das mulheres.

“A Globo esteve em minha casa e eu dei uma longa entrevista com dados científicos, biológicos e políticas antidoping na defesa das mulheres. A entrevista foi censurada e não foi incluída na matéria”, disse.

A ex-jogadora também destacou que sempre respeitou a emissora em sua carreira, mas que considera o episódio um desrespeito com as jovens atletas que estão lidando com a nova realidade de competições que incluem atletas transexuais.

“Sempre respeitei a emissora e estive disponível durante meus 24 anos no esporte. Não considero a censura de minha entrevista, que clara e unicamente defende o esporte feminino, um desrespeito a mim, mas a milhares de mulheres e jovens atletas que nunca são ouvidas – declarou.

Fonte: Pleno.News

Categorias
Artigos

CATÓLICOS PODEM CRIAR PASTORAL GAY

 

Após polêmica Igreja no PR estuda criação da Comissão da Diversidade

Por: Redação Creio

foto - bandeira gay com cruz

Após a polêmica envolvendo o trabalho da artista plástica Elisa Riemer, que produziu um cartaz virtual para divulgar a Parada LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais) de Maringá, marcada para 20 de maio, com a catedral da Igreja em Maringá, o arcebispo da cidade declarou que estuda criar a Pastoral da Diversidade.

A declaração foi dada durante reunião entre o representante do movimento gay e o arcebispo dom Anuar Battisti da cidade de Maringá. “Dom Anuar nos disse que a preocupação maior deve ser contra a violência e não contra o movimento. Ele ficou comovido e nos deu um indicativo para a criação da Pastoral da Diversidade em Maringá”, afirmou o líder do movimento gay.Caso a pastoral seja criada, ela será a primeira iniciativa oficial da igreja para trabalhar diretamente no combate a homofobia.

No cartaz a imagem da luz usando a catedral da cidade como prisma e explodindo em cores do arco-íris irritou católicos da cidade e o arcebispo dom Anuar Battisti, que, ontem, no seu blog, lamentava “o uso dado ao cartaz, que confronta com o pensamento e a opinião religiosa da parcela maior da comunidade maringaense”.

    Você concorda com a iniciativa da Igreja Católica do Paraná? Ela enfraquece as iniciativas contra a ditadura gay contra as igrejas cristas? Opine !

Data: 23/4/2012