Categorias
Noticias

Tras ‘Vatileaks’ el Vaticano implanta la identificación con microchip a sus empleados

Bajo control de ‘Monseñor 007’

 

Tras ‘Vatileaks’ el Vaticano implanta la identificación con microchip a sus empleados

La Ciudad del Vaticano, en Roma

Los empleados del Estado Vaticano serán controlados mediante una tarjeta de identidad con un dispositivo de rastreo implantado en un microchip.

07 DE DICIEMBRE DE 2012, ROMA

El Vaticano presenta nuevas medidas de seguridad tras el escándalo «Vatileaks» para prevenir futuros ataques a su sistema de su seguridad. A partir de ahora los empleados del Estado Vaticano tendrán una tarjeta de identidad con un dispositivo de rastreo implantado en un microchip.
También se han incluido controles más estrictos para aquellos que vengan del exterior y pretendan ingresar fotocopias de los archivos del Vaticano, expedientes o documentos, explica «The Telegraph».
Los apartamentos papales que incluyen las viviendas del Papa Benedicto XVI y las oficinas del estado mayor personal, se encuentran en el interior del Palacio Apostólico y han quedado totalmente fuera del alcance de cualquier persona sin autorización estricta.
CASCADA DE ACONTECIMIENTOS
Todo este despliegue es culpa de Claudio Sciarpelletti, el experto en informática declarado culpable de complicidad en el ex mayordomo del Papa Paolo Gabriele en el escándalo Vatileaks.
La decisión se produjo cuando los tres jueces que evaluaron el caso plantearon dudas sobre la credibilidad de Sciarpelletti y la amistad entre los dos hombres.
Sciarpelletti fue condenado en noviembre de complicidad con Gabriele, declarado culpable de haber robado documentos privados del pontífice y luego haberlos cedido a un periodista italiano a principios de este año.
“MONSEÑOR 007”
Además, el Vaticano cuenta con el Sacerdote esloveno Mitja Leskovar, un experto anti-espionaje apodado «Monseñor 007», encargado de aplicar los nuevos procedimientos de seguridad con los documentos de identidad previstos para ser introducidos a partir de 1 de enero.
Leskovar, creció en la antigua Yugoslavia bajo el comunismo. Es responsable de la transmisión de documentos confidenciales entre el Vaticano y sus nuncios papales o diplomáticos dentro de la Secretaría de Estado y también supervisa todas las solicitudes de fotocopia del documento de la secretaría.
El personal de oficina y en general los laicos que trabajan en el interior de los muros del Vaticano estarán afectados por el escrutinio más estricto y se permitirá a sus superiores controlar cuando entran y cuando salen.

Fuentes: Efe

Editado por: Protestante Digital 2012

Categorias
Artigos

‘Globo me ataca e ataca a Igreja Universal por causa da Record’, diz Edir Macedo

 

Por Amanda Gigliotti | Repórter do The Christian Post

Em entrevista à revista IstoÉ, o bispo Edir Macedo, líder da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) desabafou que a Globo ataca a ele e à IURD por causa da Record.

  • Globo pode mudar nome de novela para evitar rejeição de evangélicos

    (Foto: Divulgação)

Dono de uma das maiores emissoras do Brasil, Edir Macedo disse que a “certos setores da sociedade”, como a Globo e o Vaticano, estão incomodados com a perda de “espaço” e “privilégios”.

“Há um claro preconceito por trás disso. Uma postura agressiva velada. Ou alguém duvida que a Globo só me ataca e ataca a Igreja Universal por causa da Record? Para eles, a Record é uma ameaça”, afirmou ele à publicação.

Como exemplos do “incômodo” da emissora, o líder religioso relembra que no tempo de sua prisão, a Globo transmitiu uma cena de novela, em que uma atriz prestes a ter relações sexuais, jogou o sutiã em cima da “Bíblia Sagrada”.

“Você tem ideia do que isso significa? Uma afronta ao símbolo maior da fé cristã.”

Ele explica a sua indignação, dizendo que a "Bíblia" não é um livro sagrado apenas da Igreja Universal, mas de todos os cristãos.

Curta-nos no Facebook

“E o que aconteceu? Nada! Muita gente aplaudiu, achou bonito”, disse.

A mesma emissora, disse Macedo, foi a que começou a patrocinar recentemente os eventos de música gospel.

“Dá para acreditar nas intenções dessa empresa? Estranho, não é?” questionou ele, referindo-se aos investimentos da Globo no público evangélico.

Quanto aos católicos, o líder afirma não ter nada contra eles, e diz que eles são em maioria formada “por gente sincera e de bem”.

Entretanto, Edir Macedo diz que eles, da Igreja Universal, são ainda tratados com preconceito e considerados “seita” para os católicos.

“Depois de 35 anos, apesar do trabalho social e espiritual desenvolvido pela Igreja Universal, ainda somos tratados com preconceito, mas vamos em frente, vamos arrebentar de qualquer maneira.”

Apesar das críticas e polêmicas em torno do líder, ele afirma que o seu principal objetivo é pregar o Evangelho. E aponta para o trabalho de recuperação social e espiritual que a Igreja Universal vem realizando na sociedade.

Para ele, o sucesso da Universal, que hoje está presente nos mais diversos países com grande número de atendentes, é que os membros têm a "riqueza da salvação da alma".

“Aceitar o Senhor Jesus como seu Salvador é o único caminho da salvação eterna da alma. E essa é a maior riqueza de qualquer pessoa. Não existe bem maior do que a salvação da nossa alma.”

Os milagres, segundo ele, não é charlatanismo como muitos apontam, mas eles são manifestações de fé como os exemplos contidos na Bíblia.

“Temos milhares de histórias reais de pessoas que experimentaram esses milagres e podem atestar, nos dias de hoje, a veracidade das promessas cristãs,” justificou.

“Mas o maior milagre é a conquista da fé inteligente, capaz de gerar uma mudança radical de comportamento, a transformação completa de pensamentos e de valores.”

Categorias
católicos Ciência Estudos

Calendário crisão está baseado em erro de vários anos a partir do nascimento de Jesus, diz Papa

 

Por  Amanda Gigliotti | Repórter do The Christian Post

O calendário cristão está baseado em um erro de cálculo vários anos a partir da data de nascimento de Jesus feito por um monge do século seis, afirmou o papa, segundo o Daily Mail.

  • papa bento XVI

    (Foto: Reuters)

    Papa Bento XVI.

 

Segundo ele, o monge Dionysius Exiguus estava distante vários anos da data de nascimento de Jesus em seus cálculos. Dionysius foi o responsável pela criação do calendário baseado na era Anno Domini (AD), anos que seguiram do ano da concepção ou nascimento de Jesus de Nazaré.

As visões do papa Bento XVI são parte de seu livro de três volumes “L’Infanzia di Gesu” sobre a vida de Jesusque foi publicada nesta terça-feira.

“O cálculo do início do nosso calendário – baseado no nascimento de Jesus – foi feito por Dionysius Exiguus, que cometeu um erro em seus cálculos por diversos anos”, escreve o Papa Bento.

Para ele, a data real do nascimento de Jesus foi vários anos antes, o que pode confirmar a teoria de muitos acadêmicos que acreditam que o nascimento de Jesus tenha sido entre 6 BC e 4 BC.

Entretanto, as afirmações do Papa devem ainda gerar debate sobre essa questão e outras apontadas em seu livro.

O papa ainda escreve que na cena do presépio não havia animais, alegando que a Bíblia não menciona isso.

Ele afirma também que os anjos nunca cantaram a pastores para anunciar o nascimento de Cristo.

O livro do papa foi publicado pela Casa Publicadora do Vaticano e Publicações Rizzoli e apresentado à imprensa no Salão Pio X.

O livro deve ser publicado em inglês com o título “Jesus of Nazareth: The Infancy Narratives” (Jesus de Nazaré: As Narrativas da Infância).

27-5-16-a 006

Rev. Ângelo Medrado, Bacharel em Teologia, Doutor em Novo Testamento, referendado pela International Ministry Of Restoration-USA e Multiuniversidade Cristocêntrica é presidente do site Primeira Igreja Virtual do Brasil e da Igreja Batista da Restauração de Vidas em Brasília DF., ex-maçon, autor de diversos livros entre eles: Maçonaria e Cristianismo, O cristão e a Maçonaria, A Religião do antiCristo, Vendas alto nível, com análise transacional e Comportamento Gerencial.