Professor de inglês cria curso para alunos transexuais e travestis com aulas gratuitas em igreja no Rio

Por Mateus Almeida, G1 Rio


Professor de inglês cria curso gratuito para trans e travestis em igreja no Rio

Professor de inglês cria curso gratuito para trans e travestis em igreja no Rio

Realizar sonhos e ensinar inglês. São esses os objetivos do professor Thiago Peniche, que criou um curso totalmente gratuito para transexuais e travestis. Com aulas semanais, o rapaz de 21 anos se encontra com seus novos alunos na Igreja da Comunidade Metropolitana, no Centro do Rio.

Com uma iniciativa voluntária e sem participação de patrocinadores, Thiago vê na iniciativa a oportunidade de mudar a vida de pessoas que não tiveram a mesma condição que ele, que também é transexual.

O professor de inglês Thiago Peniche teve a ideia de criar o Projeto Es(trans)geiros, curso gratuito para transexuais e travestis — Foto: Marcos Serra Lima/G1
O professor de inglês Thiago Peniche teve a ideia de criar o Projeto Es(trans)geiros, curso gratuito para transexuais e travestis — Foto: Marcos Serra Lima/G1

“A população transexual sofre muito no Brasil, marginaliza a gente. A gente vive uma situação de violência sistemática, a gente morre todo dia. A gente é impedido de acessar o mercado de trabalho e âmbitos educacionais. Só que eu tive o privilégio de aprender, mas a maioria das pessoas trans como eu não teve. Não sou uma regra, sou exceção”, conta Thiago

Ele explicou que teve a ideia de transformar sua vocação em uma ferramenta de mudança social, logo após voltar de um intercâmbio no Canadá. Segundo Thiago, o curso oferece uma oportunidade e segurança.

“Esse curso propõe um ambiente de segurança e socialização entre essas pessoas, para que elas se sintam à vontade para o momento do aprendizado. Aprender uma segunda língua em um ambiente onde eles não vão sofrer julgamento algum. Porque a maioria das pessoas trans não consegue nem terminar o Ensino Médio. E as pessoas querem aprender, só que falta oportunidade.”

“A igreja está aberta de todas as formas, porque a gente tenta, enquanto igreja, influenciar para o bem comum com foco nas pessoas LBGTs, mas não somente. E é bom enfatizar que esse projeto é um projeto de protagonismo das pessoas trans. É um projeto do professor Thiago com essas pessoas. Nós igreja entramos somente como parceiros”, aponta o pastor, que comanda a Igreja da Comunidade Metropolitana no Rio há pouco mais de um ano.

Pastor Luís Gustavo cedeu o espaço da Igreja da Comunidade Metropolitana, no Centro do Rio, para receber as aulas do curso de inglês solidário — Foto: Marcos Serra Lima/G1
Pastor Luís Gustavo cedeu o espaço da Igreja da Comunidade Metropolitana, no Centro do Rio, para receber as aulas do curso de inglês solidário — Foto: Marcos Serra Lima/G1

“A ICM é a primeira igreja inclusiva do mundo. E o nosso foco principal é atrair pessoas LGBTs para a igreja de Cristo. A gente sabe que as igrejas excluem as pessoas. Então, a gente está em busca dessas pessoas que foram excluídas ou até quem nunca entrou em uma igreja, mas deseja ouvir a proposta de Cristo”, conta Luís Gustavo.

E, para Thiago, a junção de um espaço religioso e o acolhimento das minorias não poderia ser de forma melhor.

Panfleto de boas-vindas na Igreja da Comunidade Metropolitana do Rio de Janeiro: Deus ama todas a pessoas — Foto: Marcos Serra Lima/G1
Panfleto de boas-vindas na Igreja da Comunidade Metropolitana do Rio de Janeiro: Deus ama todas a pessoas — Foto: Marcos Serra Lima/G1

 Doações anônimas

Para dar o pontapé inicial no curso gratuito, Thiago criou uma “vaquinha” para arrecadar dinheiro para comprar material escolar e também para custear as passagens dos alunos. Os primeiros R$ 100 deram lugar a outras quantias, que chegam de forma anônima pela internet.

“No início, estipulei a meta de conseguir R$ 100 por mês. Mas, eu percebi que com todos os gastos precisaria um pouco mais. Além do custo da passagem, com alunos que saem de Duque de Caxias, Saracuruna, Marechal Hermes, Bangu, a gente também gasta com o material usado nas aulas e também um lanche”, conta Thiago.

Ele vê em seus alunos o seu reflexo e a dificuldade de ser uma pessoa trans e passar por transformações.

“O meu período de transição foi muito difícil, claro. Mas eu tive muito apoio familiar e dos meus amigos. Isso mudou a minha vida. Se eu tivesse sofrido tudo que eu sofri sem o apoio deles não sei o que teria acontecido comigo. E eu sou muito grato por isso. E todas as pessoas trans precisam disso: apoio. E não é tão difícil apoiar alguém e amar alguém”, diz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.