Amai-vos intensamente uns aos outros,disse Jesus

 

1 Pedro cap.1 v.22-25: “Purificando as vossas almas pelo Espírito na obediência à verdade, para o amor fraternal, não fingido; amai-vos ardentemente uns aos outros com um coração puro; Sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva, e que permanece para sempre. Porque Toda a carne é como a erva, E toda a glória do homem como a flor da erva. Secou-se a erva, e caiu a sua flor; Mas a palavra do Senhor permanece para sempre.”

23-11-2015 126

Pr. Ângelo Medrado

João 15:5-14… Eu sou a videira; vós, os ramos. Quem permanecer em mim e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer. Se alguém não permanecer em mim será lançado fora, como o ramo. Ele secará e hão de ajuntá-lo e lançá-lo ao fogo, e queimar-se-á. Se permanecerdes em mim, e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis tudo o que quiserdes e vos será feito. Nisto é glorificado meu Pai, para que deis muito fruto e vos torneis meus discípulos. Como o Pai me ama, assim também eu vos amo. Perseverai no meu amor. Se guardardes os meus mandamentos, sereis constantes no meu amor, como também eu guardei os mandamentos de meu Pai e persisto no seu amor. Disse-vos essas coisas para que a minha alegria esteja em vós, e a vossa alegria seja completa. Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros, como eu vos amo. Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a sua vida por seus amigos. Vós sois meus amigos, se fazeis o que vos mando.

Realmente, o amor é um dom e uma ordenança, mesmo estando norteado pelas emoções e sentimentos o amor é a razão de escolher o que Deus quer que façamos. Em todos os relacionamentos, em todas as situações essa é a regra do amor – I Coríntios 13.  O amor não é como a mídia propaga nas novelas, bailes funk,filmes,pornografia,sacanagens etc. .A destruição do amor, pelo mundo, faz parte da estratégia satânica para enganar o povo que não lê a bíblia. O amor é a chave mestra que abre as portas do universo para a realização do propósito de Deus nas vidas daqueles que Nele crêem. Quando há essa declaracão  sincera de amor uns para com os outros o universo fará com que as coisas aconteçam, os anjos lutarão em favor dos justos, todas as barreiras cairão por terra e a vitória chegará. Por isso o Senhor Jesus disse que no final dos tempos o amor esfriaria. Estamos vivendo isso em nossos dias, no meio  da própria igreja. Vemos crentes derrotados porque não aplicam o mandamento do amor. Atraem para si desgraças, ódios, maldiçoes. Quem ama intensamente o próximo vence o mundo.

Em poucas palavras Jesus enfatiza o amor, o amor sem reservas e sem fronteiras, como ele afirma: “O meu mandamento é este: amem-se uns aos outros, assim como eu amei vocês. Não existe amor maior do que dar a vida por seus amigos.” (Jo 15,12-13).

Jesus emite o seu mandamento: O mandamento do amor. Ele nos amou, entregando-se até a morte, mostrando assim o grande amor que o Pai tem pelo seu Filho único, transmitindo esse amor do Pai a todos os que o seguem: “como o Pai me amou, assim também eu amei vocês.” (Jo 15,9) e exorta os seus discípulos a amarem-se mutuamente: “amem-se uns aos outros como eu amei vocês.” (Jo 15,12).

Os que seguem Jesus devem amar-se intensamente, “Pois Deus amou de tal forma o mundo, que entregou seu Filho único, para que todo o que Nele acredita não morra, mas tenha a vida eterna. De fato, Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para condenar o mundo, e sim para que o mundo seja salvo por meio dele.” (Jo 3,16-17).

Essa mensagem já era manifesta no livro de Levítico que já exortava os israelitas a esse respeito: “Não espalhe boatos, nem levante falso testemunho contra a vida do seu próximo. Eu sou Yahweh. Não guarde ódio contra ao seu irmão. Repreenda abertamente o seu concidadão, e assim você não carregará o pecado dele. Não seja vingativo, nem guarde rancor contra os seus concidadãos. Ame o seu próximo como a si mesmo. Eu sou Yahweh.” (Lv 19,16-18).

“Portanto, ame a Yahweh, seu Deus, com todo o seu coração, com toda a sua alma e com toda a sua força”. (Dt 6,5a). Tudo isso foi retomado por Jesus para expressar o essencial da Lei de Moisés, quando alguém lhe perguntou qual era o maior mandamento da Lei e: “Jesus respondeu: “ame ao Senhor teu Deus com todo o seu coração, com toda a sua alma e com todo o seu entendimento”. Esse é o maior e o primeiro mandamento. O segundo é semelhante a esse: Ame ao seu próximo como a si mesmo. Toda a Lei e os Profetas dependem desses dois mandamentos;” (Mt 22,37-40).

Quem ama à Deus ama a seu irmão, ama o próximo. Quem não ama intensamente o seu próximo não ama à Deus. Entretanto, a grande dificuldade, hoje em dia é a manifestação desse amor às pessoas, pois confundem as coisas esquecendo-se que o verdadeiro amor não se refere a sexo, mas sim ao desejo de ver alguém feliz,  declarando esse puro amor para que as portas do universo se abram e  as coisas boas aconteçam com a pessoa amada, são desejos sublimes, sem interesse,despojado de qualquer má intenção é o desejo de estar na companhia da pessoa amada, de conversar com ela,de manifestar profecias de coisas boas, grandes e maravilhosas que farão com que a pessoa amada, independente de sexo, cor e raça aconteçam sobre ela deixando-a feliz.

Todos estão tão preocupados com os mandamentos do antigo testamento, os mandamentos mosaicos, dados aos hebreus e se esquecem que vivemos uma nova aliança em Jesus Cristo e com isso acabam ignorando o novo mandamento de Jesus: “Eu dou a vocês um mandamento novo: amem-se uns aos outros. Assim como eu amei vocês, vocês devem se amar uns aos outros. Se vocês tiverem amor uns para com os outros, todos reconhecerão que vocês são meus discípulos.” (Jo 13,34-35).

A definição bíblica do amor está em 1 Coríntios 13:4-7… O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

Romanos 8:38-39… Pois estou convencido de que nem morte, nem vida, nem anjos, nem demônios, nem o presente, nem o futuro, nem quaisquer poderes, nem altura, nem profundidade, nem qualquer outra coisa na criação será capaz de nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor.

Portanto: 1 Pedro cap.1 v.22-25: “Purificando as vossas almas pelo Espírito na obediência à verdade, para o amor fraternal, não fingido; amai-vos ardentemente uns aos outros com um coração puro; Sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva, e que permanece para sempre. Porque Toda a carne é como a erva, E toda a glória do homem como a flor da erva. Secou-se a erva, e caiu a sua flor; Mas a palavra do Senhor permanece para sempre.”

Declare o seu amor ao próximo e veja os acontecimentos sobrenaturais que sobrevirão sobre a sua vida. Que Deus os abençoe com o dom do amor verdadeiro.

045

 

Rev. Ângelo Medrado, Bacharel em Teologia, Doutor em Novo Testamento, referendado pela International Ministry Of Restoration-USA e Multiuniversidade Cristocêntrica é presidente do site Primeira Igreja Virtual do Brasil e da Igreja Batista da Restauração de Vidas em Brasília DF., é, ex-maçon, autor de diversos livros entre eles: Maçonaria e Cristianismo, O cristão e a Maçonaria, A Religião do antiCristo, Vendas alto nível, com análise transacional e Comportamento Gerencial.

Categorias
Cultos Jovens católicos

Igreja exibe suposta túnica usada por Cristo antes da crucificação

A peça foi restaurada por uma das especialistas em antiguidades responsáveis pela restauração das peças do museu do Louvre

por Leiliane Roberta Lopes -gospelprime-

 

Igreja exibe suposta túnica usada por Cristo antes da crucificaçãoIgreja exibe suposta túnica usada por Cristo

A basílica Saint-Denys de Argenteuil, nos arredores de Paris, está exibindo uma túnica que supostamente foi usada por Jesus Cristo antes de ser crucificado.

A peça foi recentemente restaurada na França e agora tem atraído milhares de visitantes que desejam ver de perto uma das maiores relíquias do cristianismo, ao lado do sudário de Oviedo e do lençol de Turim.

O reparo realizado recosturou a peça original em um tecido mais escuro e mais grosso. “Constatamos que, com um fundo mais escuro, os buracos da roupa ficam menos visíveis. Dessa maneira, foi possível dar maior coerência, em termos visuais, à túnica”, afirma a restauradora de antiguidades Claire Beugnot.

Chamada pela Igreja Católica de a Santa Túnica, o objeto pertence a França há 1,2 mil anos. Segundo a história, a peça foi dada de presente ao rei francês Carlos Magno pela imperatriz Irene de Constantinopla (atual Istambul, na Turquia). O rei então doou a túnica ao clero de Argenteuil.

Muitos contra-argumentam dizendo que tal túnica não é  datada, conforme afirma a igreja católica, e com isso levantam dúvidas quanto a sua autenticidade. Independente disso, a relíquia, de 1,2mil anos, ora restaurada chama a atenção para a renovação espiritual dos seguidores das religiões cristãs. Os valores espirituais renovados pela fé são mais importantes do que a relíquia inspirando a todos os cristãos os sofrimentos de Jesus Cristo para dar a salvação a todos que Nele depositam a sua fé..

A tradição da igreja da França é mostrar a túnica a cada 50 anos, a última vez que ela foi exibida foi em 1984 e só seria exposta novamente em 2034, mas por conta do restauro a igreja resolveu antecipar o evento. Com informações G1

Categorias
Artigos

O Princípio e o Fim do Reinado do Messias

 Por Amilcar Rodrigues – gnoticias – em 15 de dezembro de 2015

O Princípio e o Fim do Reinado do MessiasO nascimento do Messias, Jesus de Nazaré, foi profetizado à cerca do Seu Reino, como segue:

“Do incremento deste principado e da paz não haverá fim, sobre o trono de David e no Seu Reino, para o firmar e fortificar em juízo e em justiça, desde agora para sempre; o zelo do Senhor dos Exércitos fará isto, Is 9:7“.

À cerca do Reino, Jesus deu testemunho, a Pilatos afirmando que Ele era Rei porque para isso tinha nascido. Também acrescentou que o Seu Reino não era deste mundo.

Com esta afirmação, Jesus demarcou-se de ser Rei, na esfera militar e política de Israel, ainda que fosse descendente do rei David. Qualquer tentativa de envolver num futuro escatológico o Messias, sentado no trono de Israel geográfico, não passa de uma falácia que infelizmente a maioria das igrejas evangélicas segue.

Sobre este Reino Messiânico, o apóstolo Pedro afirmou:

“Porque David não subiu aos céus, mas ele próprio diz: Disse o Senhor ao meu Senhor: Assenta-te à minha direita, até que ponha os teus inimigos por escabelo dos teus pés, At 2:34, 35“.

Podemos afirmar cronológicamente que o Reinado do Messias teve início quando ascendeu aos céus e assentou-se à destra de Deus, o Pai, Mc 16:19. O terminus do Reinado do Messias, terá lugar quando o último inimigo do Reino for vencido, como está escrito:

“Porque convém que reine, até que haja posto a todos os inimigos debaixo dos seus pés. Ora o último inimigo que há-de ser aniquilado é a morte. Porque todas as coisas sujeitou debaixo dos seus pés. Mas, quando diz que todas as coisas lhe estão sujeitas, claro que se exceptua aquele que lhe sujeitou todas as coisas. E, quando todas as coisas lhe estiverem sujeitas, então também o mesmo Filho se sujeitará àquele que todas as coisas lhe sujeitou, para que Deus seja tudo em todos, I Co 15:25 a 28“.

No tempo presente, os acontecimentos da esfera política, econômica e espiritual, representados no Livro do Apocalipse por três cavalos, vermelho, preto e amarelo, Ap 6:4, 5 e 8, procuram guerrear os santos do Altíssimo, isto é a igreja dos redimidos pelo Sangue do Cordeiro que foi morto, antes da fundação do mundo e por causa desta redenção Deus o Pai O fez sentar à Sua mão direita, Sl 110:1, a quem David chamou de Senhor.

Para nossa reflexão, o Pai deu ao Filho a corôa do Reino e o Filho a restituirá ao Pai, depois de cumpridos os factos anteriormente referidos.

Para sempre Jesus de Nazaré, Ungido de Deus, o Segundo Adão I Co 15:22, o Primogênito dos Mortos estará por toda a eternidade connosco e cumprir-se-á a Sua Oração Sacerdotal, Jo 17.

casal com uma missão,
Amílcar e Isabel Rodrigue

“As opiniões ditas pelos colunistas são de inteira e única responsabilidade dos mesmos, as mesmas não representam a opinião do Gospel+ e demais colaboradores.”
Amilcar Rodrigues foi ordenado pastor em 1978 na “Apostolic Faith Mission” na República da África do Sul, onde fez estudos teológicos. Como missionário em Portugal, fundou três igrejas e foi Presidente Nacional da Comissão de Programas da Aliança Evangélica Portuguesa, para a televisão, RTP2. Foi formado produtor de televisão “Broadcast” pela “Geoffrey Connway Broadcast Academy” Toronto, Canadá, é filiado do “Crossroads Christian Comunication”. Em 1998 veio para o Brasil convidado pelo Ministério Fé Para Todos, Rio de Janeiro. No ano 2000 fundou em Cabo Frio uma congregação do mesmo Ministério e foi nomeado Vice-Presidente do Conselho de Pastores até ao ano de 2004. Em 2006 ficou cego. Escreveu o livro “Deus da Aliança” , Evangelho dos Sinais aos Hebreus” e “Contos do Apocalipse”. Foi convidado pelo Gospel+ para participar como colunista em Maio de 2012.Por