Categorias
Noticias

Cristãos marcham para protestar contra a estátua de “Lucifer” na Grécia

 

“Phylax” estátua em Paleo Faliro município de subúrbio de Atenas, Grécia, tem sido alvo de protestos cristãos

Mais de 100 cristãos liderados por um padre em Atenas marcharam para o local de uma escultura controversa, que muitos pensam descreve Lúcifer, e exigiu sua remoção.

Os manifestantes mantinham bandeiras gregas, ícones e cantaram hinos onde a escultura Phylax está de pé, de acordo com Greek Reporter.

A escultura, uma imagem de um homem vermelho desnudo com asas, feita pelo artista Kostis Georgiou, foi instalada perto da marina Palaio Faliro em Trokadero, sul de Atenas, no mês passado, de acordo com Neos Kosmos .

O padre polvilhou “água benta” na estátua para “exorcizar seus demônios”.

A estátua sofreu dois ataques de vandalismo desde a sua instalação em 5 de dezembro. O que pode ter causado preocupação entre os cristãos é que o município de Palaio Faliro nomeou a estátua “anjo-guardião” do subúrbio de Atenas do Sul.

O prefeito Dionysis Hatzidakis, no entanto, afirmou que o Phylax não se refere ao anjo da guarda como descrito na fé cristã.

O pároco local Patapios Argyros diz que isso não é verdade.

“A escultura é um demônio e um soldado de Satanás que, em vez de serem honrados, devem ser desprezados como blasfemos para a santa trindade”, escreveu ele em uma carta aberta ao prefeito. “É uma afronta à ortodoxia e à fé cristã”, continuou ele.

O artista não concorda

“Quem diz que a cor de Satanás é vermelha?” – perguntou Georgiou. “Há anjos com asas vermelhas e cabelos vermelhos”, disse ao canal grego Skai TV que a crítica é liderada por “um pregador de ódio”, afirmou. “Supõe-se que os adversários são cristãos, mas sua alma é anti-cristã”, disse o artista.

“O trabalho é independente de qualquer abordagem de símbolos e emblemas religiosos”, acrescentou. “Se eles querem demolir, deixe-os fazê-lo. Se eles quiserem queimá-lo, deixe-os queimá-lo assim como queimavam livros no passado”.

Os moradores do subúrbio começaram a colecionar assinaturas para pressionar o município a remover a escultura.

Fonte: The Christian Post

Descobertas pinturas na tumba de Anfípolis, na Grécia

Ruínas da tumba em Anfípolis

Ruínas da tumba em Anfípolis (AFP/VEJA)

Uma equipe de arqueólogos descobriu pinturas sobre a vida cotidiana nas colunas do maior túmulo antigo já encontrado na Grécia, em Anfípolis, no norte do país. O anúncio foi feito neste sábado pelo ministro grego da Cultura, Kostas Tasulas. “Durante a manutenção das colunas, foram descobertas representações de personagens, objetos e utensílios”, disse Kostas em entrevista coletiva realizada no local das escavações.

Leia também:
Arqueólogos encontram cabeça de esfinge em mausoléu grego
Egito reclama de cópia de esfinge ‘made in China’
Pesquisadores encontram restos de Filpe II, pai de Alexandre, o Grande

Segundo o ministro, as pinturas podem ajudar a descobrir a identidade de quem está enterrado na tumba, cujos restos mortais foram encontrados no início deste mês. “As primeiras respostas serão obtidas após o exame do esqueleto por um laboratório. É aí que saberemos a idade e o sexo do defunto”, explicou a secretária-geral do Ministério da Cultura, Lina Mendoni.

Além disso, uma equipe da Universidade de Tessalônica utilizará técnicas de ressonância magnética para registrar os arredores do sítio arqueológico e verificar se há outros túmulos. A arqueóloga encarregada das escavações em Anfípolis, Katerina Peristeri, dará uma entrevista coletiva sobre os últimos resultados, em 29 de novembro, em Atenas.

Na coletiva, o ministro também comemorou o interesse crescente no tema e na região. “O número de visitantes do museu de Anfípolis aumentou consideravelmente. Nos últimos tempos, nos finais de semana, mais de 1.500 pessoas vêm para esse lugar”, afirmou. Desde agosto passado, quando os arqueólogos entraram no imenso túmulo de 500 metros de circunferência, foram descobertas duas imponentes esfinges, cariátides de mais de dois metros de altura e um grande mosaico quase intacto. Segundo especialistas, trata-se de um monumento único na história da Antiguidade.

(Com agência France-Presse)

Arqueólogos encontram imagem de Baal

Divindade desconhecida foi achada na Turquia

baal
Arqueólogos encontram imagem de Baal em escavação

Uma equipe de pesquisadores da Universidade de Münster, na Alemanha, encontraram durante uma escavação arqueológica uma imagem do que pode ser uma versão romana do deus Baal. Até então desconhecido, essa divindade estava associada ao culto de Júpiter Doliqueno.

A peça esculpida em basalto foi encontrada num antigo santuário da cidade Doliche, no sudeste da Turquia. Com cerca de um metro e meio de altura, apresenta “uma divindade emergindo de um cálice de folhas. Sua haste longa sobe de um cone decorado com símbolos astrológicos… é um deus da fertilidade e da vegetação”, explica o professor Engelbert Winter, arqueólogo líder da escavação.

“A imagem está muito bem preservada. Oferece informações valiosas sobre as crenças dos romanos e à persistência das antigas tradições do Oriente Médio”, ressalta o professor Michael Blomer.

 

Os arqueólogos acreditam que a imagem foi esculpida no início do século I a.C. Júpiter Doliqueno era um deus romano criado a partir do sincretismo do Júpiter romano, chamado de “o rei dos deuses”. Também é conhecida a adoração de Baal na antiga cidade greco-romana de Doliche, localizado ao norte da moderna cidade turca de Gaziantep.

As atividades de escavação da Universidade alemã concentraram-se este ano em explorar o mosteiro medieval de Mar Salomão (St.Solomon).

“As ruínas bem conservadas do Mosteiro oferecem inúmeras conclusões a respeito da vida e da cultura na região entre a Antiguidade Tardia e o tempo dos cruzados”, comemora o professor Winter.

Uma equipe internacional descobriu as ruínas do mosteiro em 2010. De acordo com Blomer, “Todos os achados desta temporada de escavações são peças importantes do quebra-cabeça, que contribuem para o conhecimento relativo a cada fase da longa história deste lugar sagrado”.

Eles ainda não sabem precisar como e por que as imagens do santuário romano continuaram preservadas mesmo após o local ter sido transformado em um mosteiro cristão provavelmente no século 4.Com informações de Science Daily e Cristiano Digital e Gospel Prime.

045

Rev. Ângelo Medrado, Bacharel em Teologia, Doutor em Novo Testamento, referendado pela International Ministry Of Restoration-USA e Multiuniversidade Cristocêntrica é presidente do site Primeira Igreja Virtual do Brasil e da Igreja Batista da Restauração de Vidas em Brasília DF., ex-maçon, autor de diversos livros entre eles: Maçonaria e Cristianismo, O cristão e a Maçonaria, A Religião do antiCristo, Vendas alto nível, com análise transacional e Comportamento Gerencial.