Categorias
Noticias política

Vice-presidente dos Gideões critica Daciolo: “por que não doou seu salário?”

Pastor Hueslen Santos disse que deputado constrangeu a liderança com suas palavras

Hueslen Santos e Reuel BernardinoHueslen Santos e Reuel Bernardino

Durante o encerramento dos 36º Congresso dos Gideões Missionários da Última Hora, em Camboriú (SC), o vice-presidente pastor Hueslen Santos decidiu dar publicamente uma resposta ao Cabo Daciolo, que teve uma participação polêmica no último sábado.

Quando recebeu oportunidade, o deputado federal e pré-candidato a presidente da república pelo PEN, entregou uma palavra para a organização do evento, dizendo que Deus não queria pastores que são maçons no púlpito.

Daciolo também afirmou que se o dinheiro das ofertas fosse dividido com os presentes, uma vez que muitas pessoas estariam sem dinheiro para se alimentar, Deus iria multiplicar o valor. No momento em que o deputado fez o desafio, o presidente dos Gideões Reuel Bernardino aceitou.

Porém, Hueslen disse que a fala do carioca constrangeu a ele e a Reuel. Citando os outros deputados estaduais e federais que passaram pelo Congresso, enfatizou que todos agiram com “respeito”, menos Daciolo.

Além de dizer que o deputado não deveria ter anunciado que estava em um propósito de jejum, pois “não é para tocar trombeta quando se jejua”, reclamou que ele não contribuía para a obra dos Gideões.

“Ele pediu que dividíssemos com a multidão o dinheiro arrecadado. Por que ele não dá o salário de deputado federal? Ele ganha dinheiro do povo! Por que não foi o primeiro a vir aqui e dizer: ‘Eu quero dar o meu salário de deputado’”, disparou Hueslen.

Deixou claro que Daciolo estaria tentando se “promover” e querer ensiná-los a fazer missões.

Anunciando que os Gideões enviam missionários para 44 países, o vice finalizou com um desabafo: “Eu lhe perdoo. O senhor [Daciolo] é convidado a vir aqui em 2019, 2020, 2050 se Jesus não voltar. Mas tenham temor quando citam o texto sagrado e usem o nome de Deus quando Deus não falou e não mandou dizer”. Logo após ele concluir, o público presente aplaudiu muito.

Assista:

Categorias
Noticias

Incêndio de prédio em São Paulo destrói igreja Luterana

Edifício Wilton Paes de Almeida, que desabou em SP após incêndio, foi projetado na década de 1960 e era patrimônio histórico.

Edifício Wilton Paes de Almeida destruídoEdifício Wilton Paes de Almeida destruído

Um incêndio sem precedentes destruiu totalmente o edifício Wilton Paes de Almeida, no Centro de São Paulo, deixando 92 famílias desabrigadas e comprometendo as construções vizinhas. Ao lado da construção estava localizada a Igreja Evangélica Luterana, parte importante da história do evangelho no Brasil, que foi praticamente destruída.

A catedral que passava por um processo de restauração, teve uma perda incalculável. Todo o telhado foi comprometido, o forro de madeira original, a parede direita com vitrais que levavam o selo de Martinho Lutero construídas pelo vitralista Conrado e muitas preciosidades artísticas, tudo foi perdido.

“A igreja foi praticamente destruída, mais de 80% destruída, só sobrou uma parte do altar e a parte da torre, o resto veio tudo abaixo. Uma tragédia muito mais que financeira, uma tragédia humana”, disse o pastor Frederico Carlos ao Jornal Hoje.

O templo, também conhecido como Martin Luther, foi construído em estilo neogótico e inaugurado em 25 de dezembro de 1908. Ele foi tombado pelo Conpresp, em 1992, e pelo Condephaat, em 2012. Guilherme von Eÿe, seu arquiteto, também assinou o projeto do Conservatório Dramático e Musical de São Paulo. O prédio ocupa uma área de 1012 metros quadrados e tinha pavimento térreo de 465 metros quadrados.

A Igreja Evangélica Luterana, que fica ao lado do prédio em chamas, também pegou fogo e parte da estrutura desabou. (Foto: Felipe Rau/Estadão Conteúdo)
Incêndio teve início de madrugada

O incêndio que atingiu a sede da igreja teve início por volta de 1h30 da madrugada de hoje (01) no 5° andar do prédio vizinho à catedral.  O imóvel de 24 andares pertencia a União e era ocupado irregularmente por grupos de famílias sem-teto.

O edifício foi colocado para leilão em 2015, por R$ 24 milhões, mas ninguém adquiriu. Em 2017, o imóvel foi cedido para a Prefeitura de São Paulo, para instalação da Secretaria de Educação e Cultura da cidade, segundo o Ministério do Planejamento.

Saiba como ajudar

A Cruz Vermelha de São Paulo está recebendo doações de água, alimentos não perecíveis, roupas, sapatos e itens de higiene pessoal para auxiliar as vítimas do incêndio. Quem estiver em São Paulo e quiser ajudar, basta se dirigir ao polo na Avenida Moreira Guimarães, 699, próximo ao aeroporto de Congonhas. Com informações de Veja e G1

Categorias
Israel

Escritor, especialista sobre Israel, diz que profecias estão se cumprindo de forma rápida

 

O escritor e especialista sobre Israel, Doug Hershey, comparou Israel no período antigo e nos dias atuais.O escritor e especialista sobre Israel, Doug Hershey, comparou Israel no período antigo e nos dias atuais.

No momento em que Israel completa 70 anos desde sua independência, o cumprimento de muitas profecias é notado por especialistas. O antes e depois que marcam a história de Israel já estava previsto pelos profetas bíblicos.

Há 150 anos, o autor Mark Twain descreveu Israel como um “país desolado”, “silencioso” e “triste”. Hoje, Doug Hershey, em seu novo livro intitulado Israel Rising: Ancient Prophecy/Modern Lens (Israel Ressurge: Antiga Profecia/Lentes Modernas, em tradução literal), expõe 200 fotografias de Israel entre os anos de 1880 e 1940.

O objetivo é comparar o antigo Israel com o moderno. A obra é baseada na promessa descrita em Ezequiel 36:8: “Mas vocês, ó montes de Israel, produzirão galhos e frutos para o meu povo Israel, pois ele logo virá para casa”.

“Achamos que a profecia era para reis, pessoas ou nações. Mas Ezequiel está profetizando para a terra, quando Israel voltar como uma nação — ramos produzirão frutos, cidades devastadas serão reconstruídas, pessoas e animais serão multiplicados e a terra será cultivada e semeada”, disse Hershey à CBN News.

“Estamos vivendo um tempo muito profundo na história. Vivemos em um tempo onde as profecias de Isaías, Ezequiel e Jeremias de 2.700 anos atrás, que estavam adormecidas por tanto tempo, estão se cumprindo”, acrescentou o autor. “A promessa mais repetida nas escrituras é que Deus trará seu povo de volta à terra e isso quando acontecer, haverá mudanças dramáticas e as veremos”.

Hershey acredita que a própria terra de Israel parecia estar esperando pelo retorno de seu povo. “Esta terra foi conquistada 15, 20 vezes diferentes. Ela nunca se tornou uma pátria para nenhum outro grupo de pessoas e a terra nunca produziu para nenhum outro grupo de pessoas. Quando Israel voltou, de repente, as vastas terras desertas passaram a produzir flores e frutos”.

“Isaías 27 afirma que quando Israel voltar, Jacó se enraizará e encherá a terra de frutas. E por muitos séculos os crentes têm lido isso como um fato alegórico ou espiritual, mas como estamos vendo hoje, é muito literal. Está acontecendo agora”, observa o autor.

Universidade Hebraica de Jerusalém no Monte Scopus entre 1925-1945. (Foto: Reprodução)
Universidade Hebraica de Jerusalém no Monte Scopus entre 1925-1945. (Foto: Reprodução)
Universidade Hebraica de Jerusalém no Monte Scopus em 2016. (Foto: Reprodução)
Universidade Hebraica de Jerusalém no Monte Scopus em 2016. (Foto: Reprodução)

No momento em que Israel celebra seu 70º aniversário, Hershey vê um milagre. “Israel é o relógio de Deus, como muitas pessoas disseram e acredito nisso também. Muito está acontecendo aqui num período muito curto de tempo e, para mim, é um dos mais profundos milagres de nossos dias”, destaca.

Fonte: Guia-me