Fim do mistério: Papa Francisco quebra o silêncio e revela quem será o anticristo

Na homilia da missa celebrada na Casa de Santa Marta, o Papa Francisco advertiu contra a tentação de construir ideologias baseadas no amor e na religiosidade cristãos; ideologias em que a mensagem evangélica do amor de Deus fez o homem não é reconhecida.

Advertência:

“Um amor que não reconhece que Jesus veio em carne e osso não é o amor que Deus pede. É um amor mundano, um amor filosófico, é um amor abstrato, é um amor caído, um amor branco. Não! O critério do amor cristão é a encarnação da Palavra. Quem diz que o amor cristão é outra coisa, esse é o anticristo, que não reconhece que o Verbo se fez carne “.

O papa alertou contra as ideologias: “a ideologia do amor, a ideologia da Igreja, a ideologia que separa a Igreja da carne de Cristo. Essas ideologias sacrificam a Igreja !: “Se eu sou católico, se sou cristão, tenho que amar o mundo inteiro com um amor universal”, mas é um amor etéreo.

“Um amor está sempre dentro, é concreto e não além desta doutrina da encarnação da Palavra”.

O líder da Igreja Católica enfatizou que “esta é a nossa verdade: Deus enviou seu Filho, ele encarnou a si mesmo e se tornou um homem como nós. Amor como Jesus amou; amor como Jesus nos ensinou, amor segundo o exemplo de Jesus, amor andando no caminho de Jesus “.

“A única maneira de amar como Jesus amava”, disse o Pontífice, “é deixar o nosso próprio egoísmo e ir para o serviço dos outros”. O amor cristão “é um amor concreto porque a presença de Deus em Jesus Cristo é concreta”. “A igreja é a comunidade em torno da presença de Cristo, que vai além”, disse ele.

      O Amor cristão

O protótipo do amor cristão é o amor de Cristo por sua esposa, a Igreja. “Quem não quer amar como Cristo ama sua esposa, a Igreja, com sua própria carne, dando sua vida, ama ideologicamente”, disse Francisco. “Fazer teorias e ideologias com uma religiosidade que elimina a carne de Cristo, a carne da Igreja, arruína a comunidade, arruina a Igreja”.

“Se começarmos a teorizar sobre o amor, chegaremos à manipulação da vontade de Deus”, disse o papa. “Chegamos a um Deus sem Cristo, um Cristo sem a Igreja e uma Igreja sem o povo”

Fonte: ACI Press

Siga-nos
error0